Cientista político vê franca oposição do Congresso a Dilma e diz que manifestações acendem 'luz amarela'

Cientista político vê franca oposição do Congresso a Dilma e diz que manifestações acendem 'luz amarela'

O cientista político, José Henrique Artigas, comentou o pronunciamento da presidente Dilma Rousseff (PT), no dia internacional da mulher e afirmou que com as manifestações que vêm acontecendo em todo o Brasil, ‘acende a luz amarela’  no governo.


De acordo com Artigas, Dilma procurou não só homenagear a mulher, já que segundo Artigas, a mulher ocupou o menor espaço no pronunciamento’. Para ele, a presidente procurou fazer a defesa de um ajuste fiscal duro e afirmou que a maior parte da população pode se irritar e preocupar, reconhecendo que o pacote é negativo e vai ser mal recebido.


Artigas afirmou que Dilma destacou no discurso a necessidade do Congresso alinhar-se às propostas do governo em relação ao ajuste fiscal, ‘uma vez que o Congresso está claramente em franca oposição ao governo federal’. Ele lembrou que as Casas legislativas vêm derrubando as propostas do governo que também deve amargar outra derrota em relação ao ajuste fiscal.


Para o cientista, o trabalhador que iria pagar essa questão do reajuste e ele acredita que o Congresso não vai aprovar neste momento delicado onde saiu a lista de Janot, para não ficarem ‘mal perante a opinião pública’.


A respeito das manifestações após o pronunciamento, como buzinaços e panelaços, Artigas afirmou que esta é uma ‘luz amarela’ que se acende no governo e lembrou que já está marcado para o dia 15 uma manifestação em oposião ao governo, sugerindo o impeachment da presidente embora não haja nenhum processo contra ela em relação a operação Lava Jato.

 

 

 

 

Rádio CBN