Cidades da Copa têm 62% dos restaurantes fora do ideal, alerta Anvisa

Cidades da Copa têm 62% dos restaurantes fora do ideal, alerta Anvisa

O Ministério da Saúde e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) divulgaram o resultado de um estudo que categorizou os serviços de alimentação oferecidos por 2.075 estabelecimentos distribuídos por 26 cidades em todo o Brasil. Entre os municípios avaliados, 11 vão receber jogos da Copa do Mundo.

Dos estabelecimentos categorizados, 38% obtiveram o selo A, que representa o padrão sanitário ideal; 41% ficaram na categoria B, e 15%, na C. Outros 6% foram avaliados como “pendentes”. Com relação aos serviços de alimentação nos aeroportos, 53% alcançaram a nota A; outros 39% ficaram com o selo B, e 6%, na C. Apenas 2% dos estabelecimentos não apresentaram condições sanitárias mínimas e foram classificados como “pendentes”. Somente os estabelecimentos das categorias A, B e C receberão o selo, que tem validade até agosto deste ano e será afixado pela Anvisa na entrada do local. Os comércios classificados como “pendentes” terão um prazo para se adequar às normas da vigilância. Caso não corrijam as falhas, podem sofrer sanções que vão desde multa até a interdição, em casos mais extremos.

O presidente da Anvisa, Dirceu Barbano, diz que a classificação permitirá ao cliente ter a clareza sobre as condições sanitárias do local, diferenciando estabelecimentos que cumprem as condições sanitárias básicas e os que têm excelência.

De acordo com a gerente geral de alimentos da Anvisa, Denise Resende, o estudo avaliou, em média, cerca de 10% do total de estabelecimentos comerciais em cada cidade. “A categorização foi inspirada em projetos de sucesso semelhantes aos que ocorrem em Nova York e Londres. A inspeção foi feita pelas vigilâncias locais, com apoio total da Anvisa”, declarou.





IG