Cidade de Piancó na Paraíba Pretende ser Polo Sertanejo no Cultivo de Flores

Cidade de Piancó na Paraíba Pretende ser Polo Sertanejo no Cultivo de Flores

Na manhã de ontem (31/01) saiu de Piancó uma caravana de mulheres, acompanhadas pelo Diretor de Meio Ambiente da Secretaria de Infra Estrutura e ambientalista José Rodrigues Fiho, e a professora Rosy Mary Andrade em direção ao  Brejo Paraibano, especificamente Sapé e Areia, para em encontro com a técnica da EMPASA, Silvana Alves Santos, conhecer o trabalho e a técnica do cultivo de flores tropicais e temperadas para formarem uma associação de floriculturistas em nossa cidade, com vistas à produção e venda de flores.

A primeira parada foi em Sapé, na Fazenda Zumbi, do senhor Zeca Araújo, que cultiva as chamadas flores tropicais que são destinadas ao feitio de arranjos ornamentais. Ele mostrou a plantação de flores como a ádria, bastão de imperador,  rostrata, entre muitas outras  variedades que ele cultiva em sua fazenda há oito anos e diz ser  uma  atividade muito lucrativa. Importante destacar que o plantio é sombreado, e   o adubo orgânico,  resultado das podas nas hastes que fica depositado no chão, favorecendo mais ainda a beleza da plantação. Com uma  ampla explanação sobre como cultivar, produzir e vender as flores, ele também mostrou o belíssimo jardim de sua fazenda, com flores muito bonitas e exóticas, e também um pomar lindo, com frutas como carambola, manga, abacate, maracujá.

Em seguida, acompanhou a caravana até a cidade de Areia, onde a parada foi na Cooperativa  Flores Vila Real, onde vimos o cultivo de outra variedade de flores e plantas, mais  destinadas a jardinagem, com flores como cravinas, amor-perfeito,  rosas, e plantas ornamentais. A presidente Maria Marta Lima, mostrou as estufas onde as plantas são cultivadas, falou da necessidade do empenho e dedicação e que a lucro vem sim, mas depois de muito esforço, pois nessa modalidade a venda é feita sobretudo  com mudas em vasos,  que podem se adequar a jardinagem de casa e até mesmo de praças.

Foi uma viagem proveitosíssima,  as mulheres voltaram encantadas e muito decididas a criarem aqui em Piancó  uma cooperativa nos moldes das que foram vistas e provar que mesmo aqui neste sertão árido a beleza das flores pode surgir e encantar, e ainda ser uma atividade rentável economicamente.

Fonte: Texto e fotos, Aurea Cristina Barros