Cícero nega ‘doações’ de R$ 500 mil da Odebrecht: “não recordo”

Cícero nega ‘doações’ de R$ 500 mil da Odebrecht: “não recordo”

O ex-senador, ex-prefeito e ex-governador Cícero Lucena (PSDB) negou ter recebido valores da Odebretch. Em entrevista à rádio Arapuan, o tucano disse não ter registrado nenhuma ‘doação’ irregular da empresa na campanha eleitoral de 2012. “E em 2014 nem candidato eu era”, disse ele.

Cícero Lucena é citado em uma lista que envolve duas centenas de parlamentares e lideranças políticas. Ele teria recebido R$ 150 mil em 2012 e R$ 350 mil em 2014, valores referentes a ‘doações de campanha’. O ex-senador disse que verificará as informações junto ao profissional responsável pelas contas de campanha, mas não recorda ter recebido tais doações.

“Fico muito à vontade para que verifiquem se há alguma emenda minha que favoreça a Odebretch. Estou à disposição para esclarecimentos. Se alguém usou meu nome para receber a doação, vai ser responsabilizado. Posso garantir que não tive nenhum contato com a Odebretch. Não me recordo de doação da Odebretch”, finalizou Cícero

Documentos apreendidos pela Polícia Federal listam possíveis repasses da Odebrecht para mais de 200 políticos de 18 partidos políticos. As planilhas estavam com Benedicto Barbosa Silva Júnior, presidente da Odebrecht Infraestrutura, e conhecido no mundo empresarial como “BJ”. Foram apreendidas na 23ª fase da operação Lava Jato, batizada de “Acarajé”.

A lista gigante inclui nomes da oposição e também da situação. São mencionados, por exemplo, Aécio Neves (PSDB-MG), Romero Jucá (PMDB-RR), Humberto Costa (PT-PE) e Eduardo Campos (PSB), morto em 2014, entre vários outros.

 

 

 

 

Jãmarrí Nogueira-MaisPB