Cícero Lucena admite deixar o PSDB

Cícero Lucena admite deixar o PSDB
A crise no PSDB, envolvendo o senador Cícero Lucena, é mais intensa do que se supõe. Depois que o senador Cássio Cunha Lima praticamente fechou a indicação do ex-senador Wilson Santiago (PTB) para compor sua chapa como candidato ao Senado, Cícero não esconde sua indignação e já admite deixar o PSDB, e até abandonar a vida pública.
Cícero entende que é o candidato natural do partido, até por já ter o mandato de senador. Lembra que, segundo todas as pesquisas até agora divulgadas, ele está bem à frente de Santiago, "três por um". Também acredita que pode somar muito mais do que o petebista na chapa dos tucanos. por fim, lamenta que esteja sendo descartado "pela terceira vez".
A primeira foi em 2002, quando era o nome da preferência para disputar o Governo, inclusive com o apoio do então governador Zé Maranhão, e seria praticamente candidato único. Mas, Cícero decidiu recuar, a pedido do então senador Ronaldo Cunha Lima, em favor de seu filho Cássio, que foi candidato e derrotou Roberto Paulino.
A segunda, lembra ele, foi em 2010, quando foi estimulado por Cássio a percorrer o Estado para consolidar sua candidatura ao Governo. Mas, após retornar de uma viagem ao Estados Unidos, Cássio resolveu descartar sua candidatura e emprestar seu apoio a Ricardo Coutinho, vencendo a disputa contra Zé Maranhão.
Agora, caso sua candidatura à reeleição ao Senado seja rifada, será a terceira vez. Há poucos dias, Cícero confidenciou a amigos que vai aguardar o desfecho dos entendimentos com o PTB e, se houver de fato a aliança para Santiago ser o candidato a senador, ele vai avaliar a possibilidade de deixar o PSDB e até mesmo a vida pública. 
E, nesse caso, pretende emitir um "manifesto à Paraíba", detalhando as suas razões. (com Helder Moura)