Cícero diz que se não houver espaço para disputar reeleição ao senado vai deixar Cássio e alfineta Ruy e Santiago

Cícero diz que se não houver espaço para disputar reeleição ao senado vai deixar Cássio e alfineta Ruy e Santiago

O senador Cícero Lucena (PSDB) admitiu hoje não concorrer às eleições de outubro e nem participar da campanha eleitoral caso não tenha espaço para disputar a reeleição para o Senado, como tem sido expressado até agora pela cúpula do ninho tucano paraibano. Em entrevista a uma emissora de rádio na capital, Cícero disse que "não mata nem morre" por causa de um cargo público e que está preparado, "especialmente", para voltar a ser um cidadão comum.

De acordo com ele, mesmo tendo a condição de candidatura nata, segundo o estatuto do PSDB, Cícero compreende que havia a necessidade de uma conversa sobre qual seria a melhor opção para o partido. Segundo ele antes de outubro do ano passado, conversou com Cássio Cunha Lima, e na ocasião recebeu convite para migrar ao Solidariedade e presidir o partido, mas afirmou não ter o histórico de migrar de legenda.

O senador Cícero questionou o fato do deputado federal Ruy Carneiro ser o mais cotado para vice na chapa de Cássio Cunha Lima, e afirmou que os dois são do PSDB e perguntou se Ruy teria mudado de partido. Ele disse que levou mais partidos para a coligação do que o PTB e que acrescentou o tempo de TV, queixando-se.

Segundo ele, faz 60 dias que estar em silêncio, e não vai bater chapa. Cícero aguarda a posição do partido, e questionou o PSDB por não ter discutido se ele deveria ou não disputar o senado, e revelando que não tem vaidade de ter cargos.

O senador sinalizou que não deve participar da campanha se não for candidato, e argumentou que se não serve para concorrer às eleições, porque serviria para apoiar. Se diz estar preparado para qualquer cenário, ele afirma que não tem angústia e ao depende de um cargo, ser cidadão ou senador, é a mesma coisa, afirmou.

 

Redação