CBF blinda Felipão na discussão sobre arbitragem e explicita irritação

CBF blinda Felipão na discussão sobre arbitragem e explicita irritação

O assessor de imprensa da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Rodrigo Paiva, interrompeu o técnico da seleção, Luiz Felipe Scolari, quando este foi questionado por um jornalista chileno a respeito da arbitragem da partida deste sábado, quando o Brasil enfrentará o Chile sob o comando do árbitro inglês Howard Webb.

Muito irritado, Paiva fez um pronunciamento rápido manifestando um sentimento que a CBF vem expondo desde a primeira partida da seleção na Copa, quando o Brasil venceu a Croácia, por 3 a 1, com um pênalti polêmico marcado pelo japonês Yuichi Nishimura e que foi amplamente discutido por grande parte da imprensa internacional, especulando eventual ajuda da arbitragem para a seleção brasileira.

"Esse tema é primitivo e imaturo. Esse tipo de pressão soa até ridículo. Não é só um desrespeito com a Fifa, é um desrespeito com a história da seleção brasileira e com o povo brasileiro. O Brasil não precisa de árbitro para ganhar título e não vamos mais falar sobre isso", declarou Rodrigo Paiva, antes que Felipão iniciasse a falar sobre a questão que abordava o assunto, repercutido desde o início da competição.

A repercussão provocada pela decisão de Nishimura, que marcou pênalti convertido por Neymar, no gol que iniciou a virada contra a Croácia, vem sendo tema de desconforto entre a comissão técnica e a CBF desde então.

No jogo seguinte, por exemplo, Felipão terminou a coletiva em que abordou os detalhes do empate sem gols contra o México fazendo uma pergunta pública aos jornalistas presentes. "Não tem mais pênalti para o Brasil", ironizou o técnico, sem precisar dizer que ele estava falando sobre um lance em que o lateral-esquerdo brasileiro Marcelo caiu dentro da área após disputa com jogador do México. 

Uol