Cássio reúne lideranças em Campina, condena “fábrica de mentiras” do Palácio e diz que sua base está intacta

Cássio reúne lideranças em Campina, condena “fábrica de mentiras” do Palácio e diz que sua base está intacta

Lideranças políticas do Compartimento da Borborema, Curimataú, Brejo e Cariri se reuniram com o senador Cássio Cunha Lima (PSDB) na tarde desta sexta-feira (10), no Hotel Garden, em Campina Grande. Deputados, prefeitos, vereadores e lideranças se fizeram presentes à reunião no Garden.

Cássio começou a reunião denunciando que o governo está criando uma onda de boatos com o objetivo de confundir o eleitorado dizendo que estão conseguindo adesões. “Eles anunciaram a adesão de Galego Sousa, eleito deputado. É mentira. Galego Sousa está conosco. Esse filme, essas mentiras a gente já viu”, disse o senador.

O senador lembrou que teve uma vitória maiúscula enfrentando as máquinas do Estado e da Prefeitura de João Pessoa, em defesa da candidatura do atual governador.

“Mas eles perderam a eleição e ficam criando boatos, como se estivessem vencidos. Nós vencemos o primeiro turno e vamos vencer de novo porque estamos com a nossa base intacta”, garantiu o senador.

Ele garantiu que vai ampliar sua vitória em Campina Grande e na região polarizada pela cidade e isso vai garantir a sua vitória no segundo turno das eleições. “O nosso desafio é manter a base intacta e ampliar as adesões”, disse.

Segundo o senador, no primeiro turno o eleitorado se dividiu entre os candidatos da chapa majoritária e os candidatos proporcionais. “Agora no segundo turno as atenções vão se dividir apenas entre os que disputam o governo e à Presidência da República”, atentou.

 

Um outro fator positivo lembrado pelo senador Cássio é que Aécio Neves, presidenciável do PDSB, vem crescendo nas pesquisas e vai vencer a eleição nacional “Isso vai nos ajudar, porque muita gente vai acompanhar essa onda que está despertando o Brasil”, acredita Cássio.

“Em 2002, eu disputei o segundo turno e o candidato a presidente era Lula, que acabou vencendo a eleição. A cena se repetiu em 2006. Agora em 2014, pela primeira vez, há a chance do meu candidato a presidente ganhar a eleição, e eu acredito nisso!”, acredita.

 

Assessoria