Cássio denuncia onda de violência na Paraíba

Cássio denuncia onda de violência na Paraíba

Líder do PSDB, o senador Cássio Cunha Lima (PB), subiu à tribuna nesta quarta-feira (13), para denunciar problemas que verificou em seu estado. Ele disse que o interior da Paraíba sofre com problemas no abastecimento de água e que a cidade de Campina Grande vive uma onda de violência.

Em Campina Grande, segundo maior município da Paraíba e do qual ele foi prefeito por três mandatos, Cássio diz haver um “clima de pânico” em razão de uma onda de crimes violentos.

— Em várias universidades as aulas foram suspensas porque não há o menor clima de segurança para estar nas ruas. A população está aterrorizada.

O senador fez menção a uma rebelião ocorrida no Presídio Regional do Serrotão, que fica na cidade, na manhã desta quarta-feira. Ele disse que voltará ao município em breve para participar da organização de mobilizações e voltou a criticar a postura do governo estadual.

— O secretário de Segurança Pública sequer tem a humildade de reconhecer a existência do problema. A palavra oficial do governo é que a situação está sob controle. Acha que com propaganda o problema será resolvido – disse o senador.

Em completo estado de indignação e revolta com a situação em que se encontra o estado da Paraíba, em especial, a cidade de Campina Grande, o senador paraibano voltou a desabafar por meio do seu instagram, falando o sentimento que todo cidadão gostaria de expressar: “Chega! A cidade está refém dos bandidos! Basta!!! Até quando? É preciso uma ação urgente por parte dos responsáveis pela segurança pública. O Governo precisa agir em defesa da cidadania. Faço apelo ao Governador e ao Secretário da Segurança. Não é mais tolerável essa situação. Uma cidade sitiada. É preciso uma ação urgente e enérgica”.

 

Colapso

Cássio visitou o sertão paraibano há duas semanas e afirma ter presenciado uma crise hídrica “extremamente grave”.

— Há cidades em colapso. Mais de 1 milhão de pessoas podem ficar sem nenhum tipo de perspectiva de abastecimento — alertou.

O senador tucano acusou as administrações estadual e federal de não agirem adequadamente.

— As razões são a omissão, a letargia e a falta de providências em tempo hábil. O governo do estado não consegue dar uma resposta eficaz. O governo federal cortou para muitos municípios o programa de abastecimento por caminhões-pipa — relatou.

Cássio criticou também o atraso nas obras de transposição do rio São Francisco e fez uma manifestação de repúdio contra a Agência Nacional de Águas (ANA) por não tomar as medidas necessárias.

 

 

 

 

MaisPB