Cássio alfineta Ricardo e diz garantir concurso todo ano, vagas nas escolas e cobrança por obras estruturantes à União

Cássio alfineta Ricardo e diz garantir concurso todo ano, vagas nas escolas e cobrança por obras estruturantes à União

O senador Cássio Cunha Lima (PSDB) já mostrou a que veio. Nesta segunda-feira (21) em entrevistas concedidas a duas rádios da Capital, o senador fez questão de alfinetar o governador Ricardo Coutinho (PSB), sem citar nomes, e o governo federal da presidente Dilma Rousseff (PT). A manobra atinge o candidato socialista e o petista, Lucélio Cartaxo, que disputa uma vaga para o Senado na chapa de Coutinho.

O tucano atacou o que considerou uma política falha na educação, com o fechamento de escolas, a falta de emprenho do estado em cobrar do Governo Federal investimentos estruturantes, como a instalação de uma montadora de automóveis, a exemplo do que aconteceu na Bahia (com a Ford) e Pernambuco (com a Fiat).

Cássio também reclamou do que considerou a não implementação efetiva de uma ferramenta que possibilita uma maior transparência no investimento público. “A lei de acesso a informação não está implantada de forma plena em nosso estado. Precisamos cumpri-la com determinação e vigor”, pontuou.

O candidato revelou ainda que no quesito mobilidade urbana pediu ao arquiteto Luciano Agra, ex-prefeito de João Pessoa e candidato a suplente de senador na chapa tucana, que confeccionasse projeto de mobilidade para a região metropolitana de João Pessoa e Campina Grande. Cássio garantiu também que irá fazer concursos para os policiais militares e civis, para o magistério e para a saúde.

Confira abaixo alguns trechos da entrevista concedida ao Rádio Correio Debate:

Segurança – O senador afirmou que pretende melhorar a segurança “fazendo concurso público. Fizemos mais de 27 concursos , mais de 37 PCCRs. Havia um ambiente de diálogo e valorização do servidor (no meu governo). Hoje o servidor se sente oprimido e ameaçado. O servidor se sente obrigado a adesivar carro e fazer campanha. O meu compromisso é fazer uma verdadeira usina de concursos. Na Segurança Pública estamos com uma realidade duríssima. A Polícia Militar e Civil têm um contingente menor do que há quatro anos atrás. Precisamos todos os anos ter concurso,não só para Policia, mas também Magistério e à Saúde. A Policia precisa de um contingente mínimo de 14 mil homens, hoje temos cerca de 10 mil. Nenhum outro governo fez tantos concursos, eu fazia e chamava. Não adianta fazer sem chamar. É preciso acabar com a figura do pistolão. Porque toda a estrutura pública é preenchida basicamente com comissionados”.

Investimentos – “São dois campos fundamentais. O primeiro a educação, investindo na qualificação da mão de obra, com mais oferta de ensino técnico, para atender as demandas já apresentadas. Não podemos abandonar a vertente da preparação e qualificação dos nossos jovens para disputar as vagas no mercado de trabalho. No outro aspecto, a Paraíba tem um crédito junto ao Governo Federal que nunca fez aqui investimentos estruturantes. Ao tempo que fui governador criamos mais de 55 mil emprego na Paraíba. A Alpargatas é uma exemplo disso.

Falando sobre os investimentos do Governo Federal em outros estado, Cássio pontuou: “Na Bahia há o pólo Petroquímico de Camaçari, foi feita a instalação da indústria da Ford. Tudo isso foi decisão política. Com a Fiat em Pernambuco também foi decisão política. Eu tenho esperança que com Aécio possamos resgatar essa divida histórica e trazer investimentos. Ma também não vou esquecer a agricultura, o turismo, que recuou. É preciso um conjunto de ações lastreada com aprimoração de mão de obra, atração de inestimentos e cobrança constante ao governo federal. Porque não uma montadora em nosso estado?”.

Transparência pública – “Com as ferramentas que já se dispõem já é possível esse controle, só é preciso dar maior vigor a essas ferramentas. Precisamos apenas cumpri-la com determinação e vigor. A lei de acesso não está implantada de forma plena em nosso estado. Essa implantação deve ser feita inclusive com a utilização de tecnologias, com controle feito também a partir do Smartphone. É preciso ampliar essas disponibilidades com a evolução da tecnologia da telefonia móvel e estimular sempre a participação do cidadão e da cidadã”.

Infraestrutura – “A Paraíba teve investimento em gás natural que foi decisivo para ampliação da rede para o interior do estado. Duplicamos a BR-230. Eu tive a honra de concluir a duplicação da 230 e vamos lutar para continuar. Vu cContinuar investindo na qualificação da mão de obra e buscar dialogar cm os empresários, garantido que governo não rompe contrato, para que o setor privado atue livremente e encontre no estado um parceiro e não obstáculos.

Infância e adolescente – Em relação a problemas em relação a infância e juventude e o acesso as drogas, Cássio argumetou que a solução são mais escolas e não “o fechamento de vagas na escola. Foram fechadas 160 mil vagas na rede publica estadual, o CAIC de Mangabeira está fechado, está entregue às moscas. Uma escola daquela importância, em plena capital, imagine o que está acontecendo no interior do estado. Conseguimos levar ensino médio a todas as cidades. O caminho é educação, com respeito as vocações de cada região do estado. A valorização do magistério, torná-la uma carreira atrativa, com remuneração adequada. A autonomia da UEPB tinha o objetivo não só de expandir a universidade, mas formar professores. É fundamental que os segmentos organizados da sociedade sejam convocados como parceiros para proteção de crianças e adolescentes que se encontram em risco social”.

Mobilidade – “Esse tema é extremamente atual, porque houve nos últimos 10 anos estimulo ao transporte individual. O Governo Federal barateou os veículos com diminuição de impostos, mas não fez o estudo do impacto desses veículos nas estradas com a consequente frota duplicada. Vamos fazer um planejamento para a mobilidade em Patos, Souza, Cajazeiras e região metropolitana de Campina. A capital não comporta mais soluções pontuais. O conceito de mobilidade não deve ser para o veículo. As pessoas é que devem ser prioridade. Vamos cobrar investimento estruturante em transporte de qualidade”, contou Cássio. O tucano enalteceu o ex-prefeito de João Pessoa, Luciano agra, como um grande quadro político e técnico da campanha. “Ele apresentará proposta que será mostrada de forma detalhada a João pessoa e Campina Grande sobre mobilidade urbana, onde o conceito fundamental será esse. Projetaremos soluções dos problemas para os próximos 25 e 30 anos. Hoje João Pessoa travou, parou. Não será com soluções pontuais e paliativas que será solucionado problema”.

 


Paulo Dantas