Cássio admite possibilidade de candidato a vice de JP e elogia Agra como “fantástico”

Cássio admite possibilidade de candidato a vice de JP e elogia Agra como “fantástico”

  O senador Cássio Cunha Lima (PSDB) admitiu pela primeira vez, durante entrevista ao Programa Conexão Master, da TV Master, na noite desta segunda-feira (7), a possibilidade de disputar o Governo do Estado com a postulação de um candidato a vice-governador de João Pessoa. Ao falar sobre as várias especulações em torno da indicação, o tucano classificou o nome do ex-prefeito da Capital, Luciano Agra (PEN), como “fantástico”.

De acordo com Cássio, a geopolítica paraibana indica que uma chapa tenha, pelo menos, um representante da Grande João Pessoa, que detém 23% do eleitorado paraibano. “Quando você soma os municípios da Grande João Pessoa, você tem 23% do eleitorado, somado a Campina Grande com 10%, é exatamente igual ao que ocorre em São Paulo e Minas Gerais, a chamada política do ‘café com leite’, no cenário nacional”, pontuou.

“Quanto a Luciano Agra é um nome fantástico, mas é preciso analisar todo um contexto, assim como Agra temos o senador Cícero, entre outros”, comentou Cássio, que também revelou que estreitou contatos políticos com várias lideranças, a exemplo do presidente da ALPB, deputado Ricardo Marcelo (PEN), e membros do PSC.

Pesquisa Ipespe/Jornal da Paraíba

Cássio também revelou que recebeu com “alegria” e “humildade” os últimos números divulgados pelo Jornal da Paraíba, por meio do Instituto Ipespe, que o apontou na ponta da corrida eleitoral para o Governo do Estado com 43% contra 230% do governador Ricardo Coutinho (PSB), o segundo colocado.

“Fiquei feliz ao perceber que os números são recordações das obras e ações que executamos em nossos mandatos. O bom da democracia é isso, só o povo pode impor”, disse.

Críticas de Veneziano

Cássio também lamentou a declaração do pré-candidato do PMDB, Veneziano Vital do Rêgo, de que ele e Ricardo Coutinho seriam “irmãos siameses”, por causa da aliança política que ascendeu o socialista ao Governo do Estado, em 2010. “As alianças políticas são feitas e são desfeitas. Quem não lembra da campanha [para prefeito] de 2008, em que Ricardo estava no palanque de Veneziano [em Campina Grande] e Veneziano no de Ricardo [em João Pessoa], não tem isso de irmãos siameses”, comentou.

Segundo turno presidencial

Cotado para ser um dos coordenadores de campanha do tucano Aécio Neves para presidente da República, o senador Cássio Cunha Lima, disse que as campanhas do PSDB e do PSB, que tem a frente o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, deverão crescer após a Copa do Mundo. Segundo ele, mais uma vez ocorrerá segundo turno na corrida presidencial.

“A dificuldade de Aécio e Eduardo são as mesmas. Eles não são conhecidos em alguns Estados. Mas, a eleição só começará após a Copa do Mundo, e quando isso ocorrer, certamente esse cenário irá mudar e teremos o segundo turno”, disse. “Até Lula no auge da popularidade enfrentou um segundo turno”, complementou.

 

Ângelo Medeiros
WSCOM Online