Casos de coqueluche dobram no primeiro semestre em comparação com 2013 na PB

Casos de coqueluche dobram no primeiro semestre em comparação com 2013 na PB

Dados da Secretaria de Estado da Saúde (SES) mostram os casos de coqueluche dobraram na Paraíba, comparando o primeiro semestre de 2014 com o mesmo período do ano passado. De janeiro a julho de 2013, foram confirmados 12 casos, enquanto que este ano já são 24 confirmações, existindo ainda 42 suspeitas em investigação, sendo 15 ainda do ano passado. Segundo o pneumologista Alexandre Araruna, a doença estava controlada no Brasil há cerca de 30 anos e está voltando a um novo ciclo. As causas mais prováveis desse retorno, segundo ele, são deficiência na vacinação ou pessoas que tenham trazido a bactéria de outros países.

A coqueluche é uma doença grave, altamente contagiosa, que provoca tosse incontrolável e intensa, podendo provocar sequelas ou até mesmo a morte. Apesar de estar controlada no país, causou seis mortes nos últimos cinco anos na Paraíba, de acordo com o Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM), da Secretaria da Saúde. O aumento de casos já causa preocupação entre os médicos especialistas, ainda mais por estar se manifestando de forma camuflada, graças aos uso constante de antibióticos para outras doenças, medicamento que é usado no tratamento da coqueluche. "Muitos casos estão aparecendo com crises mais brandas, parecendo gripes comum, mas quando vamos analisar constatamos ser coqueluche", disse Alexandre Araruna.

O pneumologista explicou que os primeiros sintomas da coqueluche são secreção no nariz, durante 15 dias em média, seguida de uma tosse seca, com crises intensas e prolongadas, muitas vezes fazendo o paciente vomitar. "Muita gente confunde com tuberculose ou até câncer. É preciso a análise de um especialista e os exames para confirmação do diagnóstico", disse. Por conta das crises de tosse, a doença pode causar lesões nos pulmões e no sistema neurológico. A bactéria pode ainda afetar o cérebro e essas lesões no organismo podem provocar a morte do paciente. "A coqueluche por si só não mata. O que causa morte são as complicações decorrentes das lesões que a doença causa no organismo", explicou Alexandre.

 

Portal Correio