Carta na manga: Ricardo Coutinho promete formar chapa que deve surpreender a Paraíba

Carta na manga: Ricardo Coutinho promete formar chapa que deve surpreender a Paraíba

O governador Ricardo Coutinho (PSB) prometeu ‘surpresas’ no anúncio de sua chapa majoritária que será oficializada no dia 30 de junho, data limite para a realização das convenções partidárias. Em entrevista ao programa ‘Rede Verdade’, da TV Arapuan, o socialista não perdeu a oportunidade de alfinetar o senador Cássio Cunha Lima (PSDB), pré-candidato a governador, e assegurou que irá surpreender “aos que se acham donos da política”.

O chefe do executivo estadual também viu com bons olhos uma aproximação com o ex-deputado estadual, Fabiano Lucena, sobrinho do senador Cícero Lucena (PSDB), mas preferiu não comentar a polêmica sobre a falta de espaço para o tucano na chapa majoritária que será encabeçada por Cássio Cunha Lima. “Eu tenho uma boa relação com Fabiano Lucena, nunca tivemos diferenças, sempre o respeitei. Em relação a Cícero, não posso expressar nada. Existe uma disputa interna dentro do PSDB e não me chamem para o meio disso que eu tenho problemas demais para resolver Paraíba afora”, disse.

Ricardo também assegurou que não teme o debate em torno de suas contas, como pretende fazer a Assembleia Legislativa, e apostou que a maioria dos parlamentares não sujará sua história reprovando as contas de um governador pela primeira vez. “Eu tive as contas aprovadas e eles não têm o que dizer do governo, eles não têm críticas a fazer e tentam desconstruir a minha imagem pessoal com mentiras. O meu governo não tem escândalos e se tiver, eu sou o primeiro a agir”, disparou.

O governador ainda classificou de ‘boatos’ as especulações sobre rumores de paralisação de policiais para esta quarta-feira (21) e destacou os avanços do governo na área da segurança pública. “Não há clima para isso. As polícias sabem dos avanços ao longo dos três anos e quatro meses da nossa gestão. Eu digo que confiem e continuem confiando nas polícias militar e civil. Aquilo que vimos em outros estados não acontecerá na Paraíba”, garantiu.