Cardozo chora após defesa ‘atingido’ por menção a netos

Cardozo chora após defesa ‘atingido’ por menção a netos

O ex-ministro José Eduardo Cardozo, advogado da presidente afastada Dilma Rousseff no processo de impeachment, chorou ao dar entrevista a jornalistas depois de fazer a defesa da petista no Senado. Ele criticou a advogada de acusação, Janaína Paschoal, por citar os netos de Dilma ao falar no plenário.

“Foi um choro sincero e não preparado. Eu acho inadmissível alguém pedir a condenação e dizer que o faz pelos netos dessa pessoa”, afirmou Cardozo abraçado a senadores petistas.

No final do discurso da defesa, ele disse que, se a presidente for condenada, espera que algum ministro da Justiça peça desculpas a ela ou a sua família no futuro – a exemplo do que ocorreu com os anistiados.

“Peço a Deus que, se Dilma for condenada, um novo ministro da Justiça tenha a dignidade de pedir desculpas a ela; se viva, a ela; se morta, a sua filha e netos. Que a história absolva Dilma Rousseff, se vossas excelências quiserem condená-la.”

 

 

Na fala da acusação, Janaína Paschoal também chorou ao citar os netos da presidente afastada, dizendo que pedia desculpas a Dilma.

“Eu peço desculpas porque eu sei que a situação que ela está vivendo não é fácil. Eu peço desculpas porque eu sei que, muito embora esse não fosse o meu objetivo, eu lhe causei sofrimento. E eu peço que ela um dia entenda que eu fiz isso pensando também nos netos dela.”

Alguns minutos após Cardozo chorar, Janaína também falou com a imprensa no Salão Azul do Senado e disse que foi um “teatro” do ex-ministro. “Não sabia [do choro], mas me comunicaram sobre isso agora. Não sei, pelo que conheço deles todos, é um teatro. Eles são muito articulados. Ele se emocionou? Pode até ser que sim, ele está nessa causa e não é fácil, entendeu? Mas eles são muito complicados”, disse.

Questionada sobre se acredita que cometeu “excessos” ao citar os netos de Dilma, acrescentou: “Eu acho que não. Falei o que estava sentindo. Pelo menos não senti assim. Agora, veja: todo ser humano está sujeito a críticas. De repente, vocês podem ter ficado indignados, o doutor Cardozo poder ter ficado indignado, até a presidente pode ter ficado indignada. Mas a opinião de cada ser é algo que tem de ser respeitado. Não estou brigando para dizer que estou certa, mas falei o que estava sentindo”.

Assim como Cardozo, ela também citou Deus. “Foi Deus que fez que, ao mesmo tempo, várias pessoas percebessem o que estava acontecendo no país” e se organizassem para iniciar o processo do impeachment, afirmou a advogada.

Votos

Sobre o discurso de Dilma na véspera, Cardozo afirmou que não sabe se ela reverteu algum voto no Senado, mas que deveria. “As provas são claras e reforçou tudo aquilo que já se dizia no processo. Só não quer ver isto os que por alguma razão querem afastá-la”, afirmou o ex-ministro.

Ele disse ainda que os advogados de acusação fizeram uma condenação política sem nenhuma razão e voltou a se emocionar ao ser questionado se teria convencido algum senador com sua apresentação de defesa. “É injusto certas coisas. A injustiça dói quando é contra a gente ou quando se materializa em pessoas que você conhece”, disse Cardozo.

 

 

Globo