Campanha de vacinação contra gripe é prorrogada até dia 23 de maio

Campanha de vacinação contra gripe é prorrogada até dia 23 de maio

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) prorrogou a Campanha de Vacinação contra a Gripe até o dia 23 de maio, atendendo determinação do Ministério da Saúde (MS). A campanha seria encerrada nesta sexta-feira (9) em todo o país, mas como nenhum Estado atingiu a meta de vacinação, que é de 80% do público-alvo, o MS resolveu prorrogar a campanha. A meta do Paraíba é vacinar 946.099 pessoas, mas até agora foram imunizadas 386.297 pessoas, o que equivale a 45,15% do percentual estabelecido. O índice nacional de cobertura está em 46,04%.

De acordo com a chefe do Núcleo de Imunização da SES, Isiane Queiroga, a orientação do Ministério é que os municípios intensifiquem suas ações até atingirem a meta. “Nós da SES, após análise de dados, decidimos solicitar às cidades que continuem com a campanha até o dia 23, o que consideramos tempo suficiente para que atinjam a meta”, explicou.

De acordo com dados do Programa Nacional de Imunizações (PNI-MS), até a manhã desta sexta-feira (9), das 386.297 pessoas vacinadas na Paraíba, 48,77% são crianças de seis meses a menores de cinco anos; 45,32% de trabalhadores da saúde; 45,78% de gestantes; 57,18% de puérperas; 48,84% da população indígena e 42,67% de idosos (60 anos ou mais).

Isiane ressaltou que foi percebida certa resistência à vacina por alguns dos grupos prioritários, como as gestantes, crianças e idosos, por isso é importante que seja realizado um trabalho de sensibilização e de chamamento no Programa Saúde da Família, para que possam incentivar e convencer essas pessoas a irem se vacinar. “Gostaria de pedir que cada município analise os seus dados e, a partir dessa análise, crie estratégias para atingir a meta em todo o público-alvo”, concluiu.

Saiba mais – Na Paraíba, foram distribuídas pouco mais de um milhão de doses da vacina, que protege contra os três subtipos do vírus da gripe determinados pela Organização Mundial de Saúde para este ano (A/H1N1, A/H3N2 e influenza B).

A campanha deste ano tem como novidade a ampliação da faixa etária infantil para crianças de seis meses a menores de cinco anos. No ano passado, o público infantil foi de seis meses a menores de dois anos. Também são imunizadas pessoas com 60 anos ou mais, trabalhadores de saúde, povos indígenas, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), população privada de liberdade e os funcionários do sistema prisional. As pessoas portadoras de doenças crônicas não-transmissíveis ou com outras condições clínicas especiais também devem se vacinar. Para esse grupo não há meta específica de vacinação.

Reações adversas – Após a aplicação da vacina podem ocorrer, de forma rara, dor no local da injeção, rubor inflamatório e endurecimento do tecido. São manifestações consideradas benignas e, na maioria das vezes, seus sintomas passam em até 48 horas. A vacina é contra-indicada para pessoas com história de reação anafilática prévia em doses anteriores ou para quem tem alergia grave relacionada ao ovo de galinha e seus derivados.

Novidades – Além de ampliar a vacina para crianças de seis meses a menores de cinco anos, este ano a campanha foi estendida também para funcionários do sistema prisional e portadores de trissomias (Síndrome de Down, Síndrome de Klinefelter, Síndrome de Warkany, dentre outras trissomias).

Outra novidade é que a vacinação do grupo com comorbidade (pessoas com doença respiratória crônica, doença cardíaca crônica, doença renal crônica, doença hepática crônica, doença neurológica crônica, diabetes, imunossupressão, obesos, transplantados e portadores de trissomias) passa a ser realizada em todos os postos de vacinação, deixando de ser feita exclusivamente no Centro de Referência para Imunobiológicos Especiais (Crie) e subunidades.

Secom PB