Brasil goleia Japão desfalcado com quatro de Neymar e engata a quarta com Dunga

Brasil goleia Japão desfalcado com quatro de Neymar e engata a quarta com Dunga

O time reserva Japão não foi capaz de frear o bom início de Dunga no comando da seleção brasileira. Nesta terça-feira, em Cingapura, o Brasil contou com quatro gols de Neymar para vencer por 4 a 0 e garantir os 100% de aproveitamento em quatro jogos desde o retorno do treinador, que assumiu a equipe após o fiasco liderado por Luiz Felipe Scolari na Copa do Mundo. Com seus gols, Neymar se tornou o quinto maior artilheiro da história da seleção: 40 gols. 

Com 10 dos 11 titulares que venceram a Argentina no sábado (David Luiz, contundido, deu lugar a Gil), o Brasil teve o controle da partida em todo o tempo e terminou mais uma partida sem sofrer gols (não fora vazado tambémcontra Colômbia, Equador e Argentina). As jogadas com transição rápida da defesa para o ataque e as tabelas entre os jogadores de frente (Oscar, Willian, Neymar e Tardelli) foram destaque mais uma vez. Dunga adota o mesmo estilo de jogo que empregou quando dirigiu a seleção entre 2006 e 2010. Mas nesta terça ele teve seu trabalho facilitado.

O Japão não contou com alguns de seus principais jogadores: Kagawa, do Borussia Dortmund, Uchida, do Schalke 04 e Hiroki Sakai, do Hannover, não estiveram nem entre os relacionados. Honda, do Milan, e Nagatomo, da Inter de Milão, começaram o jogo entre os reservas.

Se com sua força máxima o Japão já não representaria grande ameaça ao Brasil, sem seus principais nomes a partida foi mera exibição de Neymar e Diego Tardelli, que estão demonstrando ótimo entrosamento neste início de parceria no ataque da seleção.

O gol que abriu o placar, aos 17 minutos, saiu de uma troca de posição dos dois em que Tardelli saiu da área, deixou espaço para Neymar penetrar e o lançou. O capitão ainda driblou o goleiro antes de marcar.

No primeiro tempo, Japão chegou com perigo só aos 23 do primeiro tempo em chute de Kobayashi por cima do gol de Jefferson. Aos 28, o Japão reclamou de pênalti em chute desviado com o braço por Luiz Gustavo na linha da grande área. O árbitro de Cingapura não anotou a infração.

Dunga usou o segundo tempo para observar três jogadores que ainda não tinham muitos minutos na seleção principal: Mário Fernandes entrou na lateral-direita no lugar de Danilo, Éverton Ribeiro substituiu Willian e Philippe Coutinho na vaga de Oscar.

E a parceria entre Neymar e Coutinho, que vem desde a seleção sub-15 do Brasil, apareceu logo aos dois minutos do segundo tempo. Neymar se posicionou entre os zagueiros na intermediária e foi lançado pelo meia do Liverpool. Cara a cara com o goleiro, o jogador do Barcelona marcou seu 38º gol em 58 jogos pela seleção. Ele já é o sexto maior artilheiro da história seleção e está um atrás de Bebeto, quinto com 39.

Ao longo da segunda etapa, Dunga ainda deu lugar a Kaká, Robinho e Souza, que fez sua estreia com a seleção. Os três entraram muito bem nos lugares de Elias, Tardelli e Luiz Gustavo. O terceiro gol de saiu após rebote de chute de Coutinho, aos 31. Aos 35, após cruzamento de Kaká, Neymar marcou de cabeça. 

A seleção brasileira volta a campo no dia 12 de novembro, contra a Turquia, em Istambul. No dia 19 do mesmo mês enfrenta a Áustria em Viena. São os dois últimos jogos da equipe em 2014. A convocação para os dois jogos será no dia 23 de outubro. 

FICHA TÉCNICA: BRASIL 4 x 0 JAPÃO

Local: Estádio Nacional de Cingapura

Horário: 7h45 (de Brasília)

Árbitro: Ahmad A’Qashah (CIN

Gols: Neymar aos 17 minutos do primeiro tempo e aos 2, 31 e 35 minutos do segundo tempo.

Escalações:

Brasil: Jefferson; Danilo (Mário Fernandes, no intervalo), Miranda, Gil e Filipe Luís; Luiz Gustavo (Souza, aos 27 do 2º tempo), Elias (Kaká, aos 30 do 2º tempo), Oscar (Philippe Coutinho, no intervalo) e Willian (Éverton Ribeiro, no intervalo); Neymar e Diego Tardelli (Robinho, aos 19 do 2º tempo). Técnico: Dunga

Japão: Kawashima; Gotoku Sakai, Shiotani e Kosuke Ota; Morishige, Morioka (Honda, no intervalo), Shibasaki, Junya Tanaka (Hosogai, aos 25 do 2º tempo) e Taguchi; Okazaki e Kobayashi (Muto, aos 6 do 2º tempo). Técnico: Javier Aguirre


 

IG