Brasil fica no 24º lugar em 'Copa' de velocidades da internet; veja ranking

Brasil fica no 24º lugar em 'Copa' de velocidades da internet; veja ranking

O Brasil possui a nona pior velocidade média de internet entre os 32 países que participarão da Copa do Mundo, segundo levantamento nos dados de conexão fornecidos pela companhia de infraestrutura de rede Akamai.

A taxa de transferência do país é de 2,7 Megabit por segundo (Mbps), segundo números de dezembro de 2013, os mais recentes disponíveis. Se entrassem em campo, essas taxas de download e upload colocariam o Brasil no 24º lugar da competição. Como somente avançam às oitavas-de-final os primeiros e segundos colocados de cada um dos oito grupos, o país não estaria entre as 16 equipes. A seleção sequer passaria da fase de grupos do torneio, que começa em 12 de junho.

A conexão no Brasil é mais veloz apenas que a da Costa Rica (2,1 Mbps), Honduras (2,1 Mbps), Irã (1,2 Mbps), e dos países africanos, Gana (2,4 Mbps), Costa do Marfim (2 Mbps), Nigéria (1,8 Mbps), Argélia (1,1 Mbps) e Camarões (0,9 Mbps) (Veja a lista completa abaixo).

Ainda que a velocidade de internet brasileira fosse confrontada com as dos países do Grupo A, como ocorrerá dentro de campo na Copa, o país ainda não passaria da primeira fase. Isso porque dois dos adversários têm taxas de conexão domésticas maiores que as do Brasil. Primeira rival no torneio, a Croácia tem velocidade média de 4,9 Mbps. O México, país da seleção a ser enfrentada na segunda rodada, tem taxa de 4 Mbps. Vencer mesmo só Camarões, que, aliás, tem a pior velocidade de internet na competição inteira.

Segundo Jonas Silva, diretor geral da Akamai no Brasil, o Brasil escorrega em sua grande inclusão digital e pelo grande avanço da internet. Atualmente, 37 milhões de IPs únicos. Os números de protocolo de internet são utilizados por todo aparelho conectado para navegar na rede. Esse volume faz do Brasil o quinto maior detentor de IPs do mundo. E beirando o quarto lugar, já que a Alemanha, ocupante do posto por enquanto, possui 37,1 milhões de IPs. "Se a gente pudesse colocar mais de onze jogadores, a gente ganhava fácil", brinca Silva. De um ano para o outro, o crescimento no número de IPs no Brasil foi de 47%, um dos maiores do mundo.

O número de IPs do Brasil indicam o gigantismo do país. Já o percentual de crescimento mostra que a cada ano mais pessoas passam a navegar na rede. “Quem é incluído digitalmente não parte de uma velocidade alta. Primeiro, ele quer descobrir o que é a tal da internet. Depois que ele entra na internet que ele vê que pra ver filme precisa de mais velocidade, para não ver o vídeo todo picadinho. Ou seja, essa inclusão digital é que puxa nossas médias lá para baixo”, explica.

Na ponta de cima da tabela, está a Coreia do Sul, que desfruta de uma velocidade média de 21,9 Mbps. Completam os cinco primeiros lugares o Japão (12,8 Mbps), Holanda (12,4 Mbps), Suíça (12 Mbps) e Estados Unidos (10 Mbps).

No caso dos quatro primeiro lugares, Silva explica que o tamanho do território ajuda, pois é facilitada a implantação de fibras óticas, que transmitem sinal de banda larga a altas velocidades. Conta também serem países desenvolvidos e terem uma população com maior poder aquisitivo, aspectos que também valem para os norte-americanos.

No caso dos EUA, que possui dimensões territoriais continentais, porém, conta ainda a maior competição entre as empresas que aumenta as opções para que os consumidores migrem para pacotes de internet mais rápidos e baratos. "Também há a disponibilidade em abundância de conteúdo. O Spotify chegou na semana passada ao Brasil. Esses caras têm essas opções há muito mais tempo. À medida que você vai colocando opções de entretenimento na internet, é isso que faz a pessoa dizer: 'Puxa, eu preciso ter um negócio desses'", comenta Silva.

Veja o ranking:
1) Coreia do Sul: 21,9 Mbps
2) Japão: 12,8 Mbps
3) Holanda: 12,4 Mbps
4) Suíça: 12 Mbps
5) Estados Unidos: 10 Mbps
6) Bélgica: 9,8 Mbps
7) Inglaterra (Reino Unido): 9,4 Mbps
8) Alemanha: 7,7 Mbps
9) França: 7,7 Mbps
10) Rússia: 7,4 Mbps
11) Espanha: 6,6 Mbps
12) Portugal: 6 Mbps
13) Austrália: 5,8 Mbps
14) Itália: 5,2 Mbps
15) Grécia: 4,9 Mbps
16) Croácia*: 4 Mbps
17) México: 4 Mbps
18) Bósnia e Herzegovina: 3,6 Mbps
19) Chile: 3,4 Mbps
20) Equador: 3,4 Mbps
21) Argentina: 3,1 Mbps
22) Uruguai: 3,1 Mbps
23) Colômbia: 2,9 Mbps
24) Brasil: 2,7 Mbps
25) Gana: 2,4 Mbps
26) Costa Rica: 2,1 Mbps
27) Honduras*: 2,1 Mbps
28) Costa do Marfim: 2 Mbps
29) Nigéria: 1,8 Mbps
30) Irã: 1,2 Mbps
31) Argélia: 1,1 Mbps
32) Camarões: 0,9 Mbps

G1