Bovespa fecha no maior patamar do ano, com cena política e commodities

Bovespa fecha no maior patamar do ano, com cena política e commodities

A bolsa brasileira fechou em alta nesta terça-feira (12), em meio a nova alta de preços de commodities no exterior e após a comissão especial do impeachment aprovar o parecer favorável à abertura do processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff.

O principal índice de ações da bolsa, o Ibovespa, avançou 3,66%, aos 52.001  pontos. Veja a cotação. Foi a maior pontuação de fechamento desde julho de 2015.

Em abril, a bolsa acumula alta de 3,89%. No ano, há valorização de 19,96%.

O dólar fechou estável nesta terça, após terminar o dia abaixo de R$ 3,50 na véspera, na menor cotação desde agosto de 2015. Nesta terça, a moeda norte-americana teve alta de apenas 0,01%, a R$ 3,4948.

Profissionais de renda variável ouvidos pela Reuters dizem que o foco está voltado agora para a sessão no plenário da Câmara que discute o pedido de abertura do processo de impeachment.

"O cenário político interno se complicando para o governo vai deixando mais cristalino o cenário de impeachment", disse a Lerosa Investimentos, em relatório a clientes, de acordo com a Reuters. A equipe da corretora pondera que "o jogo não está ganho", mas destaca que o placar começa a ficar mais favorável à oposição com a tendência de saída de partidos da base de sustentação do governo.

Segundo a Reuters, investidores estão contando os potenciais votos dos deputados na sessão marcada para domingo, que irá definir a abertura ou não do processo de impeachment da presidente Dilma.

Nova fase da Lava Jato também esteve no radar dos investidores, com a prisão do ex-senador Gim Argello (PTB-DF) por suspeita de agir para evitar a convocação de empreiteiros por CPIs da Petrobras para depor em troca de pagamentos a partidos políticos.

No exterior, o avanço de commodities corroborou a trajetória positiva no pregão brasileiro, com destaque para os papéis de mineradoras e de siderurgia.

Altas do dia
A Vale fechou com as ações preferenciais em alta de 10,94%, a R$ 14,20, maior cotação de fechamento desde novembro de 2015, conforme os preços do minério de ferro à vista na China voltaram a subir com força, impulsionados por novo avanço de nas cotações do aço.

A CSN saltou 20,62%, maior alta diária desde outubro de 2008, para R$ 10,82, máxima de fechamento desde agosto 2014, em sessão positiva no setor siderúrgico como um todo, também reagindo ao movimento de preços do aço na China.

A Petrobras encerrou com as preferenciais em alta de 7,63%, na maior cotação desde o final de agosto de 2015, enquanto as ações ordinárias tiveram valorização de 8,93%, para o maior nível desde meados de agosto de 2015, na esteira de expectativas relacionadas ao cenário político e do ampliação do avanço dos preços do petróleo.

Itaú Unibanco e Bradesco subiram 4,52% e 4,11% cada, ambas em patamares máximos desde maio de 2015, reforçando a trajetória positiva do pregão dado o peso relevante que ambos têm no Ibovespa. Banco do Brasil valorizou-se 2,6%. As informações são da Reuters.

 

 

 

G1