Blocão se reúne depois do Carnaval e PT garante manter pré-candidatura

Blocão se reúne depois do Carnaval e PT garante manter pré-candidatura

As lideranças do blocão (PT/PSC/PP) voltam a se reunir para tratar sobre eleições deste ano em março, logo após o Carnaval. A informação foi confirmada pelo prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PT). O grupo quer tomar decisões sobre a chapa majoritária, a partir do novo cenário da disputa pelo Governo do Estado, com a decisão do PSDB de se afastar do governo Ricardo Coutinho (PSB). A data e local do encontro ainda não estão definidos.

 

O prefeito de João Pessoa voltou a afirmar seu apoio à pré-candidatura da advogada Nadja Palitot, que foi lançada pelo PT. Segundo ele, qualquer aproximação com o PMDB só deve acontecer após o primeiro turno da disputa pelo Governo. "Essa é uma aliança que pode acontecer no segundo turno das eleições. Somos parceiros no plano nacional. Estamos trabalhando para puder renovar a aliança nacionalmente. Temos uma candidata posta que é Nadja e vamos continuar analisando essa conjuntura", frisou.

Cartaxo assim, como diversas lideranças políticas do Estado, também apresentou sua avaliação sobre o distanciamento da aliança entre o senador Cássio Cunha Lima (PSDB) e o governador Ricardo Coutinho (PSB). Para ele, esse foi o mesmo processo vivido pelo PSB nacional ao entregar os cargos ao governo da presidente Dilma. “Aqui é o mesmo cenário, assim como Eduardo Campos anunciou sua pré-candidatura, mais cedo ou mais tarde, Cássio vai anunciar a sua”, disse.

Para o prefeito o maior prejudicado com a possibilidade de racha na coligação PSDB/PSB é o governador Ricardo Coutinho, já o blocão e também o PMDB não serão atingidos pelas deliberações dos tucanos, já que segundo ele, esses partidos sempre fizeram parte da oposição ao Governo do Estado. Apesar, mostrar-se imune as decisões do PSDB, ele admitiu que o cenário para chapa majoritária será revista.

 

As declarações de Cartaxo foram dadas em entrevista ao Correio Debate, da 98FM, nesta terça-feira (25). “Acho que muda muita coisa é para o PSB. Foi o PSB que apostou todas as fichas nessa união. Para o governador é muito ruim”, destacou.

 

Fonte: Portal Correio