Biometria avança e TRE está perto de atingir a meta de 80%

Biometria avança e TRE está perto de atingir a meta de 80%
O Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB) está perto de atingir a meta de 80% dos eleitores cadastrados, percentual exigido para que a biometria possa ser homologada. Até esta quinta-feira (21), foram cadastrados 76,60% do eleitorado alvo da biometria. Quando a biometria for homologada, os eleitores que não compareceram terão o título cancelado.
 
A movimentação tem sido intensa na reta final dos trabalhos. Por dia tem comparecido, em média,  mais de oito mil eleitores nos principais centros eleitorais. Na cidade de Bayeux, um dos alvos de biometria, foram revisados no dia de ontem (quarta-feira, 20) 926 eleitores. O município tem 70.351 eleitores, mas só foram revisados 49.948 eleitores, o que corresponde a 71% do total revisado. O município de Santa Rita, com 100.204 eleitores, dos quais 75.090 estão revisados, o equivalente a 74,94%. Sousa possui 47.042 eleitores, onde 33.334 foram revisados, representando 70,86%,. E Patos com 65.504 eleitores, revisou 46.630, ou seja, 71,19%.

 

O TRE tem como meta cadastrar 910.459 eleitores em 98 municípios do Estado, já foram revisados 697.406, ou seja, 76,60%. O prazo final vai até o dia 29 de janeiro.

 

Como já era esperado, no último mês do cadastramento biométrico a procura pelo novo título de eleitor começou a aumentar nos postos de atendimento. Ontem (quarta-feira, 20), até às 18 horas, mais de seis mil pessoas haviam comparecido para fazer o novo documento. Para tanto, o presidente do TRE-PB, recomendou aos juízes eleitorais para que os postos de atendimento estejam abertos das 07h às 13h, nos próximos sábados e domingos.

 

A Justiça Eleitoral, alerta os eleitores para que compareçam o quanto antes, evitando o constrangimento das grandes filas. A divulgação do cadastramento biométrico esta sendo intenso desde o seu primeiro dia, priorizando o conforto do eleitor.

 

O eleitor que não fizer o cadastro biométrico terá o título eleitoral cancelado. Isso implicará em uma série de transtornos e impedimentos como, se inscrever em concurso público, receber vencimentos, remuneração, salário ou proventos, se for servidor ou funcionário público; participar de concorrência pública; obter empréstimo em bancos públicos, obter Passaporte, Carteira de identidade e CPF; matricular-se em estabelecimento de ensino oficial ou fiscalizado pelo governo, receber benefícios do governo, por exemplo: o “bolsa família”. Esses são alguns dos problemas que o eleitor poderá enfrentar caso tenha o documento cancelado.
 
 
 
 

Ascom TRE