Bancos e bancários não mantém serviços essenciais à população durante a greve

Bancos e bancários não mantém serviços essenciais à população durante a greve

Os bancos e os bancários estão descumprindo acordo para manter serviços essenciais à população, durante a greve dos bancários, deflagrada nesta terça-feira (06). Entre os serviços está o atendimento presencial para alguns serviços e o depósito por meio de envelopes. A opção está sendo inviabilizada pela ausência de envelopes em todas as agências bancárias e desativada nos caixas eletrônicos do auto atendimento. 

De acordo com o Sindicato dos Bancários, são os próprios bancos que estão desativando o serviço, não os bancários. "A reposição e abastecimento dos envelopes é do banco", disse o presidente do Sindicato dos Bancários da Paraíba, Marcelo de Lima Alves. 

Um acordo junto ao Procon de João Pessoa na última segunda-feira teria garantido os serviços de acesso aos caixas eletrônicos, desbloqueio de senha, furto de cartão e prova de vida para fins de recebimento de aposentadoria e pensão. Apesar disso, os clientes estão se deparando em algumas agências com o atendimento presencial totalmente fechado. Marcelo Alves disse desconhecer que esses serviços não estejam sendo realizados. Já a Febraban informou desconhecer qualquer acordo com o Procon de João Pessoa.        

Marcelo Alves, do Sindicato dos Bancários, esclareceu que o serviço de compensação, que segundo ele é mantido durante a greve, supera os 30% previstos pela Lei de Greve. "Além disso, está funcionando normalmente o serviço no autoatendimento, como saque, como investimento, transferência, pagamento, consulta de saldo e outros serviços que possam ser feitos no atendimento. Dentro da agência não faz nada, até porque a categoria está em greve", disse o sindicalista. 

Procurado para falar sobre o assunto, o Banco do Brasil informou por meio de sua assessoria que "os posicionamentos sobre a greve dos bancários estão centralizados na Febraban, que fala em nome do sistema". Disse ainda que o Banco do Brasil "orienta os clientes a utilizarem canais de atendimento alternativos, como: Banco Postal, nos Correios; Correspondentes Bancários (Coban), rede Mais BB; portal BB na internet (www.bb.com.br); aplicativo mobile e Central de atendimento, através do telefone 4004-0001 em capitais ou 0800 729 0001 em demais cidades do país".

A Febraban, por sua vez, disse desconhecer a desativação de serviços como depósitos que está ocorrendo nos bancos e atribuiu o problema a questões pontuais de responsabilidade de cada banco. 

De acordo com a assessoria da Febraban, pelos caixas eletrônicos é possível pagar contas não vencidas, realizar saques e depósitos, emissão de folhas avulsas de cheque, realizar consulta e retirada de saldo/extrato, transferências, saques de benefícios sociais, e outros serviços como bloqueio e desbloqueio de cartão, empréstimo pessoal (CDC), resgate de investimento e solicitação de débito automático.

 

 

Click PB

A reportagem do Portal ClickPB não conseguiu contato com o secretário do Procon de João Pessoa, Marcos Santos.  

Campina Grande - O Procon Municipal de Campina Grande informou nesta terça-feira (06) que realizará fiscalizações nos terminais de autoatendimento para verificar a funcionalidade dos caixas eletrônicos (abastecimento de cédulas e disponibilidade de envelopes para depósito), que são serviços essenciais à população. As agências que descumprirem a determinação serão autuadas e estarão sujeitas ao recebimento de multa.
 
O órgão orienta que o consumidor busque meios alternativos para realização dos pagamentos, evitando assim as multas. “O consumidor não pode sofrer prejuízos, por causa da greve, mas também deve observar seus deveres para que não pague multa quando os bancos retornarem as atividades. Alternativas para que isso não aconteça são as casas lotéricas, correios, redes de supermercado, internet banking, caixas eletrônicos ou até mesmo os correspondentes bancários, que estarão funcionando normalmente”, ressaltou o coordenador executivo do Procon, Paulo Porto.
 
Em caso de dúvidas e denúncias, os campinenses deverão acionar a fiscalização do Procon através do número (83) 9 8802-5525 ou recorrer ao atendimento on line, por meio do site proconcg.com.br. 

Confira as orientações da Febraban