Autora de carta contra Dom Aldo presta depoimento na Polícia Civil

Autora de carta contra Dom Aldo presta depoimento na Polícia Civil

Mariana José Araújo da Silva, suposta autora da carta que denuncia atos homossexuais dentro da Arquidiocese da Paraíba, envolvendo o arcebispo Dom Aldo Di Cillo Pagotto, negou qualquer relação com o conteúdo do documento, em depoimento ao delegado responsável pelo caso, Antonio Brayner, no último mês de agosto.

No depoimento, apesar de admitir que assinou a carta, Mariana José negou a autoria e afirmou não conhecer as pessoas ou personagens criadas na denúncia. A mulher ainda afirmou ser muito ingênua, que estaria sendo manipulada por outras pessoas que têm a intenção de manchar a imagem do Arcebispo e que recebeu dinheiro para ir adiante com essa denúncia.

Entenda o caso – Mariana teria escrito uma carta denunciando que atos homossexuais dentro do Palácio do Bispo. No documento, ela detalhava que o Arcebispo e outros padres mantinham relações e comportamentos libidinosos no local.

A carta explica que ela teria tomado conhecimento desses atos por meio da denúncia de um jovem que estava perturbado e que precisava desabafar. Segundo a carta, esse rapaz teria se envolvido com Dom Aldo.

De acordo com o documento, o jovem estava desiludido e contou tudo o que ocorria no local e Mariana, por sua vez, teria se sentido na obrigação de expor esses acontecimentos, por isso publicou a carta.

Novo depoimento – Segundo a reportagem do Portal MaisPB apurou, depois desse depoimento Mariana voltou a prestar esclarecimentos na Polícia Civil. O conteúdo do que ela falou ainda não é conhecido.

Documentos assinado por Mariana narrando detalhes da acusação contra Pagotto

 

 

carta 3

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

MaisPB