Associação teme precarização do sistema penitenciário com a contratação dos GMT

Associação teme precarização do sistema penitenciário com a contratação dos GMT

A Associação dos Agentes Penitenciários da Paraíba se manifestou contrária à possível criação da Guarda Militar Temporária (GMT) pelo governo do Estado.

Segundo o presidente da entidade, Marcelo Gervázio, a medida pode precarizar ainda mais o sistema penitenciário do Estado e a Segurança Pública.

Ele disse que os presídios  precisam de um maior policiamento, mas a criação da GMT não seria a solução, mas sim um melhor gerenciamento do sistema e a criação de novas vagas através de concursos públicos.

– O crime ainda não descobriu a vulnerabilidade dos nossos presídios no que diz respeito ao policiamento. Aí o governo, através de uma MP, ou de outra norma de caráter precário e meio que irresponsável, tenta desprestigiar os agentes e os policiais militares querendo implantar uma Guarda Militar. Vamos marcar uma audiência no Ministério Público para discutirmos a ação a ser tomada, pois tenho certeza que tal medida não será boa, inclusive, para os possíveis contratados – ressaltou.

Marcelo Gervázio disse temer pela precarização salarial dos GMT e de todo o sistema.

Segundo ele, os salários serão muito abaixo da categoria dos agentes e dos PMs.

O líder ainda ressaltou o medo que se aumente os índices de corrupção no sistema penitenciário.

– Boa parte dos mandos dos crimes sai de dentro dos presídios e não temos estrutura para combater isso e nem efetivo. Eu temo muito que isso venha aumentar, junto com os índices de realidade do presídios e a entrada de arma de fogo. Esses profissionais que estão por vir, não terão estabilidade e não passarão pelo crivo legal e moral do Estado e não terão nenhum amparo. Temo muito que nossa situação piore. Há muito tempo existe um caos e o nosso material humano, que é muito bom, vem segurando isso, mas vai chegar uma hora que vai complicar – lamentou.

 

 

 

 

 Rádio Campina FM.