Assembleia Legislativa suspende diárias para deputados e servidores

Assembleia Legislativa suspende diárias para deputados e servidores

Deputados e servidores da Assembleia Legislativa da Paraíba vão ter que custear, a partir de março, suas próprias despesas em viagens oficiais da Casa. Ato do presidente da Assembleia, Adriano Galdino, suspendendo o pagamento de diárias de todos (parlamentares e servidores), foi publicado na edição do Diário Oficial do Poder Legislativo da última segunda-feira (22).

A medida faz parte de um pacote de medidas que vem sendo tomada pela Mesa Diretora da Assembleia para enfrentar a crise econômica que atinge o país e em particular a Paraíba, trazendo como consequência a redução no repasse do duodécimo que deve atingir o Poder em R$ 1,5 mi.

De acordo com o Sagres (Sistema de Acompanhamento da Gestão dos Recursos da Sociedade), até novembro do ano passado, por exemplo, a Assembleia Legislativa havia empenhado e pago R$ 176.610 mil em diárias.  Já para o pagamento de verba indenizatória (pagamento feito para a manutenção do gabinete de cada deputado), a Assembleia Legislativa desembolsou mais de R$ 15 mi até novembro de 2015.  

O ato do presidente de Nº 04/2016 pegou alguns parlamentares de surpresa, mas a maioria manifestou apoio à decisão do deputado Adriano Galdino. Para o deputado Gervásio Maia (PMDB) a medida se faz necessária para fazer frente à crise financeira. “A queda na arrecadação reflete no duodécimo do Poder”, informa.  O deputado Bosco Carneiro (PSL) comunga com a opinião de Gervásio e acredita que o corte de diárias não vai interferir nos trabalhos legislativos.

Já o líder da bancada de oposição, deputado Renato Gadelha (PSC) disse que a medida é prejudicial ao seu trabalho e classifica o corte como drástico. “No meu caso, por exemplo, para ir ao meu município (Sousa) e a cidades circunvizinhas eu tenho que rodar 460 km e isso é prejudicial”.

Gadelha lamenta ainda a impressão que pessoas de fora têm sobre o ganho dos deputados. “Todos pensam que o deputado ganha muito, mas não é verdade. É um salário que tem muitas despesas. Você tem que ajudar quando se chega ao município. Ajuda entidades e ONGs. É muita despesas adicional no salário do deputado”, garante.

Renato Gadelha informa ainda que pretende se reunir com presidente Adriano Galdino para saber se o corte é a única solução. “Se não for possível, então vamos cozinhar as nossas próprias banhas”.

O deputado Buba Germano (PSB) não vê dificuldades em se ajustar aos novos tempos. Ele lembra que quando foi prefeito do município de Picuí, raramente fazia o uso de diárias em suas viagens.

O petista Anísio Maia concorda com o corte de diárias. “A época é de apertar o cinto. Se todos estão fazendo isso (governo do estado e federal) a Assembleia tem que fazer a sua parte. Eu, particularmente, estou preparado: Vou arrochar o cinto”, destacou o deputado, ao lembrar que neste sábado já participa de uma sessão sobre segurança pública em Jacaraú e vai bancar a viagem de seu próprio bolso. 

 

 

 

Assessoria