Assembleia Legislativa debate mudanças climáticas e os desafios para os próximos anos

Assembleia Legislativa debate mudanças climáticas e os desafios para os próximos anos

A Assembleia Legislativa da Paraíba, através da Comissão de Desenvolvimento, Turismo e Meio Ambiente realizou, nesta segunda-feira (30), audiência pública a respeito das condições climáticas e os desafios para os próximos anos na Paraíba. A audiência pública foi presidida pelo deputado estadual Ricardo Barbosa e contou com a presença dos parlamentares Jeová Campos, Renato Gadelha, Janduhy Carneiro e aconteceu no Plenário Deputado José Mariz, na ALPB

O evento, que também marcou o retorno do deputado Jeová Campos às atividades parlamentares, após 120 dias para tratamento de saúde, reuniu autoridades e especialistas, incluindo o superintendente de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene), João Paulo Lima e Silva.

O deputado Jeová Campos destacou a importância de estar voltando em ocasião tão necessária para debater um tema que está, nesse momento, sendo discutido no mundo inteiro. Jeová alertou principalmente para os problemas do estado da Paraíba, que segundo ele vive a pior seca de sua história. “Nas perspectivas meteorológicas, estamos entrando para o quinto ano sem chuvas e a preocupação é justamente com água para beber, água como alimento. O mundo vai discutir as mudanças climáticas, mas elas não estão distantes de nós”, lembrou Jeová. 

Para o deputado Ricardo Barbosa, a sessão teve como principal objetivo aprofundar os conhecimentos a respeito dos estudos que têm sido feitos pelas diversas instituições, órgãos, empresas e o próprio poder público estadual. “O mundo todo tem contemplado essas modificações climáticas. Hoje mesmo o mundo para com objetivo de discutir políticas no sentido de enfrentar os problemas climáticos e a Assembleia não poderia ficar distante desse contexto,” justificou o parlamentar.

A bancada federal da Paraíba na Câmara foi representada na audiência pública pelos deputados federais Rômulo Gouveia e Wilson Filho. Rômulo elogiou a atitude da Casa de Epitácio Pessoa em propor o debate. “Quero louvar à Assembleia, que tem tido essa postura, tem feito campanhas educativas, tem utilizado todos os espaços e meios da Casa para debater o tema”. O deputado federal destacou que sua preocupação com as condições climáticas da Paraíba é antiga. Para ele, a Paraíba tem uma realidade de convivência com a seca e nesse sentido sente a ausência de políticas em prol da população que sofre com a falta da água. “Nós podemos chegar a uma situação ainda mais difícil. Nossos mananciais já estão bastante comprometidos. Não adianta mais apenas discutir. A teoria e a prática são muito diferentes”, afirmou Rômulo.

Já o deputado federal Wilson Filho fez questão de destacar a importância do tema. O parlamentar revelou que a bancada federal paraibana tem se reunido constantemente e lembrou que a Paraíba pode ser um estado extremamente importante na implantação de fontes de energias renováveis. “O mundo já acordou para o problema da energia. O Brasil também acordou, porém, um pouco mais tarde. Hoje, o maior potencial de energia solar do Brasil é no Sertão paraibano. Temos um potencial enorme de energia solar e só temos uma usina, que fica em Coremas. Temos um potencial enorme de energia eólica e só temos um parque, que fica em Mataraca, ou seja, temos o futuro em nossas mãos”, declarou Wilson Filho.

O superintendente de Desenvolvimento do Nordeste, João Paulo da Silva Lima, parabenizou a Casa de Epitácio Pessoa pela iniciativa e ressaltou a importância de dar início a debates por políticas ambientais e relatou os trabalhos desenvolvidos pela Superintendência. “A iniciativa da realização desta audiência nos fortalece na busca da melhoria de vida da população. Sem água não há vida e essa é a questão essencial. Estamos realizando estudos e pesquisas e nesse momento se faz necessário voltarmos ainda mais o nosso olhar para a região do semiárido, que está à beira de um colapso ainda maior”. João Paulo alertou para a realização de uma mobilização em conjuntos com todos os estados do Nordeste. “Como estamos pensando em desenvolvimento regional, todos os estados devem apresentar projetos. São necessárias ações imediatas, projetos de desenvolvimentos”, declarou o superintendente da Sudene.

Também estiveram presentes na audiência pública o secretário de Estado da Educação, Aléssio Trindade; o superintendente da Sudema, João Vicente Machado; o pesquisador da Embrapa, Fábio Albuquerque; o representante do Ministério da Agricultura, Hermes Ferreira Barbosa; o arcebispo da Paraíba, Dom Aldo Pagotto; o diretor-presidente da Energisa, André Teobaldo.
 

 

 

Assessoria