Aproximação do Planalto com PMDB visa reverter situação no TCU

Aproximação do Planalto com PMDB visa reverter situação no TCU
No processo de reaproximação com o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), o Palácio do Planalto deflagrou uma operação para tentar reverter votos no Tribunal de Contas da União no julgamento das contas do último ano do primeiro mandato da presidente Dilma Rousseff.
 
A tentativa do Planalto é de conseguir os três votos sob influência do PMDB do Senado: o dos ministros Vital do Rêgo, Raimundo Carreiro e Bruno Dantas e, com isso, virar o jogo no TCU em relação à análise das contas da presidente Dilma Rousseff em 2014.

 

No tribunal, os ministros avaliarão se atrasos nas transferências do Tesouro Nacional a bancos públicos para pagamento de programas sociais, como o Bolsa Família, feriram a Lei de Responsabilidade Fiscal. O processo é conhecido como "pedaladas fiscais".

 
Ontem dois movimentos foram considerados importantes: o vice-presidente da República, Michel Temer, conversou com Vital do Rêgo e o próprio Renan recebeu em sua residência o ministro Bruno Dantas.
 
Para o Planalto, se reverter a votação das contas de Dilma no TCU, a possibilidade de um processo de impeachment ficará esvaziada na Câmara.
 
 
 
 

 

G1