Após ter nome citado em escândalo, candidato ao Governo da PB descarta participação em negociata

Após ter nome citado em escândalo, candidato ao Governo da PB descarta participação em negociata

O deputado federal e candidato ao Governo da Paraíba, Major Fábio (PROS) negou ter participado de qualquer negociata do partido para apoiar o PSB, após ter tido o nome citado na mídia nacional em matéria no Jornal Folha de São Paulo nesta quarta-feira (23), dando conta de pedido de propina em troca de determinados apoios.

O também deputado federal José Augusto Maia (PROS) disse que recebeu e recusou a oferta para apoiar e integrar a coligação do candidato ao governo de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB). 

A proposta teria sido feita pelo presidente nacional do partido, Eurípides Júnior e pelo líder da bancada do PP na Câmara, Eduardo da Fonte (PE), em um hotel, localizado na praia  de Boa Viagem, em Recife, Pernambuco.

Ouvido pela rádio CBN, Major Fábio confimou a reunião, mas negou a proposta e disse que muitos têm medo de lhe fazer certas ofertas por conhecer o seu caráter.

"Eu não estava com papel e nem caneta, muito menos perto dele. Se alguém apresentou números de propostas eu não vi, nem ouvi proposta e nunca recebi nenhuma oferta. Muitos têm medo de oferecer algo porque sabem do meu caráter, dificultando conversar comigo sobre isso. Eu tenho postura e certeza que quem me conhece sabe que eu sou o que eu digo. Sairam de lá e eu fiquei com Maia, conversamos, mas não alimento coisas que não sei", explicou. 

Indagado sobre negociata, Major descartou qualquer conversa e salientou que nunca vai trocar apoio por estrutura.

"O que comento é o que eu ouvi, o que não ouvi não posso dizer. Se eles tiveram, ao pé do ouvido, outras conversas, isso fica a cargo deles dizerem. Não me interessa e nunca me interessou nenhuma negociata ou negociação política. Eu nunca tive estrutura de ninguém e nem ofereci, nem vou desejar na minha vida toda estrutura de ninguém. Posso apoiar por ideologia ou convicção, por estrutura não, Quem tiver seus 10 mil reais pode ficar pra lá", finalizou o candidato ao Governo da Paraíba pelo PROS.

 

 




PB Agora com Folha de São Paulo