Após denúncias de mensalão, Cláudio Lima confirma apreensão de dinheiro

Após denúncias de mensalão, Cláudio Lima confirma apreensão de dinheiro

O secretário estadual de Segurança Pública, Cláudio Lima (foto), confirmou, nesta quinta-feira (25), que delegados da Polícia Civil realmente apreenderam dinheiro durante uma blitz de rotina, realizada em 30 de junho de 2011, como foi denunciado ontem pelo Fórum dos Servidores do Estado ao Ministério Público da Paraíba (MPPB).

O Fórum pediu que o MPPB averigúe documentos publicados na internet, já que nomes de secretários estaduais estão envolvidos em um suposto esquema de pagamentos de propina com o dinheiro apreendido. O veículo apreendido foi um Wolkswagen Fox, com placa de Pernambuco (DYE 5922), conduzido por Rodrigo Lima da Silva, que ainda tentou fugir da abordagem policial.

Após a denúncia, o secretário disse que a apreensão foi feita e uma delegada lhe telefonou para saber qual procedimento deveria adotar em relação ao dinheiro apreendido, mas não fez nenhuma relação do caso com os secretários citados na denúncia. “Não lembro o nome, mas mandei que ela tomasse providências e que se não desse flagrante (prisão), fizesse a apreensão”, declarou.

Cláudio Lima ainda revelou que recebeu uma ligação do advogado do homem detido e que no dia seguinte o Ministério Público foi acionado para que os valores fossem devolvidos. Mesmo com a repercussão do caso, ele afirmou que não entrou em contato com o Ministério Público para que as investigações fossem retomadas.

“Esperamos a manifestação do Ministério Público, que tem autonomia para isso”, disse Cláudio Lima.

Os indícios de envolvimento de secretários em irregularidades não foram suficientes para que a secretaria de Segurança instaurasse inquérito em 2011 para apurar o caso. Questionado sobre os motivos que levaram a Delegacia Geral a não encaminhar as investigações para outra unidade específica, o secretário afirmou que não tem mais detalhes do processo, porque estava em viagem a Campina Grande.

“Os recursos apreendidos foram devolvidos por funcionários da Secretaria Executiva, porque o secretário entendeu que poderia apurar o caso sem a necessidade de reter os valores”, disse Cláudio Lima.

O secretário ainda informou que na época não se interessou pelo caso. “Não houve arquivamento ou tentativa de abafar, até porque oito delegados participaram da oitiva, vários funcionários ficaram sabendo”, disse.

Responsável na época por conduzir a oitiva do suspeito detido, o delegado Állan Murilo Terruél se limitou a dizer, ontem, que todo o trabalho desenvolvido pela equipe da DRE foi relatado no inquérito. “Não vou me manifestar sobre isso. Eu trabalhei como técnico”, disse Terruél.

Estado vê factóide

Após o Fórum dos Servidores protocolar, requerimento no Ministério Público Estadual solicitando que se apurem denúncias sobre um suposto esquema de propina envolvendo secretários e pessoas ligadas ao governador, o Governo da Paraíba emitiu nota rebatendo todas as acusações feitas e reproduzidas em um site da internet.

De acordo com a nota, o governo considera como factóide e credita a exploração do caso a uma tentativa desesperada de se macular a imagem do governo e do governante e questiona porque somente agora o caso tenha vindo à tona.

Para o governo, o Fórum dos Servidores atuou de maneira irresponsável ao se utilizar de um material, até então apócrifo, para tentar denegrir auxiliares do governador Ricardo Coutinho, usando um fato registrado em 2011 com o nítido objetivo de prejudicar a imagem do chefe do executivo da Paraíba.

Na nota, os secretários citados na denúncia revelaram que vão acionar judicialmente os responsáveis pela tentativa de desestabilizar o governo.

Confira, na íntegra, a nota do Governo:

NOTA

O Governo do Estado da Paraíba vem a público repudiar veementemente a atitude do Fórum dos Servidores Públicos do Estado, que de forma irresponsável utilizou um material, até então apócrifo, para tentar denegrir auxiliares do governador Ricardo Coutinho, usando um fato registrado em 2011 com o nítido objetivo de prejudicar a imagem do chefe do executivo da Paraíba.

Para tanto, destaca que:

1 - É visível que se trata de uma tentativa desesperada de setores contrários à atual gestão em querer macular a imagem de um governante e de um governo, que têm conquistado tantos avanços para o Estado, com o propósito de confundir os paraibanos. É de se estranhar também que só agora, depois de quase quatro anos, venham dar atenção às supostas denúncias;

2 - A articulação tem como defensores personagens que publicamente têm adotado postura contra o atual governo, em razão de interesses contrariados, tendo a maioria um histórico de filiação em partidos políticos que, de forma recorrente, aparecem na mídia atacando a atual gestão;

3 - Por uma questão de prática da atual gestão, a Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social jamais interferiu em investigações conduzidas eticamente, respeitando a autonomia funcional de todas as autoridades policiais desse Estado, comportamento que, lamentavelmente, não se identificava em gestões anteriores na Paraíba;

4 - O caso não prosperou junto ao Ministério Público do Estado, que tomou conhecimento à época após determinação do próprio governador Ricardo Coutinho;

5 - A Procuradoria Geral do Estado vai tomar todas as providências judiciais cabíveis, tanto no âmbito cível quanto penal, no sentido de preservar o Governo do Estado dos abusos a serem cometidos pela manipulação de tal material com fins escusos, sejam pública ou anonimamente;

6 - Por decisão individual, os secretários de Estado citados vão acionar criminalmente aqueles que atentaram de forma irresponsável contra suas honras e imagens;

Por fim, o Governo da Paraíba, em defesa dos direitos dos cidadãos paraibanos, lamenta esse tipo de conduta. E reafirma que não irá tolerar passivamente a manipulação daqueles que tiveram interesses contrariados e que estejam a forjar factoides. Esperamos que o Ministério Público do Estado saiba barrar, no momento oportuno, a sanha individualista de alguns poucos que acham que a Paraíba só existe para servi-los.

A manipulação e disseminação irresponsável de tais acusações ocultam interesses daqueles que não reconhecem os avanços alcançados pelo Governo da Paraíba em quase quatro anos de gestão.

MaisPB com JP Online