Após condenação de Tatiana no TRF5, socialista cobra ação da Câmara de Conde para cassação da prefeita

Após condenação de Tatiana no TRF5, socialista cobra ação da Câmara de Conde para cassação da prefeita

A situação em Conde não está nada confortável para a prefeita, Tatiana Correia (PT do B). Condenada pelo Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF5), em ação penal, por dois anos e seis meses em regime fechado por estelionato, a prefeita também tem a adversária política, a pré-candidata a prefeita, Márcia Lucena (PSB) cobrando mais ação da Câmara de vereadores para que cassem o mandato da prefeita.

Márcia que é presidente do PSB em Conde, recebeu apoio do presidente estadual do partido, Edvaldo Rosas e das principais lideranças da legenda da cidade durante cerimônia de posse na presidência.

 

Para ela, a condenação de Tatiana é uma "desvalorização moral" para a cidade. Ela afirmou que é um constrangimento ter a principal líder da cidade condenada por um crime federal, que foi o estelionato previdenciário. Além disso, Márcia lembrou que Tatiana responde a mais de 50 processos na Justiça comum.

Por mais que o crime cometido por Tatiana tenha sido em uma de suas empresas particulares, a socialista entende que isso só demonstra como é o jeito de gerir da atual prefeita, que pode-se refletir na gestão pública do Conde.

“O crime foi praticado fora da prefeitura, mas tem implicações na forma como ele gerencia qualquer coisa. Afasta qualquer tipo de investimento no Conde. Isso interfere na vida de todo o comerciante do Conde, de todos os cidadãos, porque de certa forma, o prefeito representa todos da cidade. Quem é que vai investir, por exemplo, numa cidade aonde a sua principal autoridade tem um histórico desse?”, questionou.

Márcia ainda ressaltou  ainda que o fato do site da Prefeitura do Conde ter saído do ar após a condenação de Tatiana é apenas uma prova de que ela tenta fugir das responsabilidades públicas. “É uma forma de poder se esconder. Se esconde a sede da prefeitura, se esconde o endereço eletrônico, telefones também não atendem, é uma forma de querer fugir de tudo isso que foi construído na vida pública dessa pessoa, que tem implicações na sua vida administrativa fora da prefeitura”, declarou.

A socialista cobra mais ação do Poder Legislativo municipal, que tem o poder de decidir o destino de Tatiana como gestora da cidade. “A gente tem que confiar na Justiça. A gente precisa saber qual vai ser a posição da Câmara de Vereadores diante de uma situação dessa da prefeita. Porque a gente sabe que se a Câmara, se quiser, pode cassar a prefeita”, afirmou.

 

 

Paraíba.com.br