Após ato público, servidores são perseguidos em Piancó

Após ato público, servidores são perseguidos em Piancó

Vários funcionários que participaram da manifestação ocorrida no dia 28 de fevereiro, em Piancó, estão relando que após o ato a Prefeitura Municipal começou a perseguir os trabalhadores que estavam lutando por melhores condições de salário e trabalho.

O ato saiu pelas ruas centrais de Piancó e depois houve concentração na Praça Salviano Leite. A atividade foi convocada pelo Sindicato dos Servidores Públicos Municipal em Saúde de Piancó e região (SINSERMUP) que protocolou ofício no dia 25 de fevereiro comunicando do ato público com os servidores.

Profissionais do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) e do Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) estiveram presentes ao ato que cobrava aumento salarial, pagamento de 1/3 de férias, adicional noturno, insalubridade, pagamento do salário de dezembro de 2012, pagamento de horas extras.

Mesmo com as tentativas da coerção os servidores estiveram no ato, mas relatam que alguns dias depois houve perseguição aos funcionários do SAMU que foram surpreendidos com a notícia de que a escala de plantão do mês de março foi mudada de forma a prejudicar aos funcionários. A medida punitiva também desativou uma das Unidades de Suporte Avançado (USA). Todos os funcionários públicos de Piancó estão estarrecidos com a atitude por parte do prefeito Sales lima.

No próximo dia 10 de março, segunda-feira, os funcionários irão ao Ministério Público (MP) para denunciar a perseguição sofrida e o que consideram abuso de poder, além de oferecer denúncia sobre a desativação de uma das ambulâncias do SAMU que trará prejuízo ao povo de Piancó e região. O Conselho Regional de Enfermagem (COREN) já foi comunicado dos fatos e estará nesta quinta-feira, dia 06, na cidade, bem como o Sindicato dos Condutores de Ambulâncias do Estado da Paraíba (SINDCONAM-PB) para acompanhar o caso.

A reportagem tentou contato com a Secretaria de Saúde do Município de Piancó, mas não obteve êxito através dos telefones disponíveis.

Fonte: Jozivan Antero – Patosonline.com