Catorze dias após os servidores do Hospital Universitário Lauro Wanderley aderirem ao movimento grevista dos funcionários da Universidade Federal da Paraíba, os atendimentos sofreram redução e apenas as pessoas que fazem acompanhamento nas chamadas “especialidades essenciais” seguem com consultas agendadas. Os funcionários atendem ao mínimo obrigatório de 30% de servidores trabalhando.

Segundo a assessoria do HU, os pacientes que estão internados na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital não sofreram qualquer mudança no tratamento. Informações dão conta de que a grande diferença no atendimento ocorre nos atendimentos ambulatoriais que são realizados exclusivamente para pacientes em tratamento contínuo, mas os exames laboratoriais e de imagem são disponibilizados apenas às pessoas que estão internadas no Hospital.

A assessoria informou que em casos de urgência em atendimentos que são feitos exclusivamente no HU, os pacientes são recebidos. Mas, novas cirurgias não estão sendo marcadas.

Os atendimentos ambulatoriais seguem o esquema organizado pelo Sindicato dos Servidores da UFPB e informado em documento à Superintendência do Hospital.
A cardiologia terá atendimentos apenas às sextas-feiras e apenas para os transplantados; o setor de pneumologia atenderá aos pacientes com tuberculose às terças e quintas-feiras; a reumatologia atenderá aos pacientes que fazem o tratamento de lúpus e ocorrerá nas terças e quintas-feiras; os mesmo dias valem para os pacientes transplantados com consultas marcadas com hematologistas.

Já para as pacientes que fazem pré-natal no HULW, o atendimento não sofrerá qualquer mudança. Os pacientes otomizados (que têm desvios no intestino) serão atendidos nas segundas e quartas-feiras pela manhã; a dermatologia só atenderá pacientes com psoríase e hanseníase; e os mastologistas só atenderão às terças-feiras. Os demais exames laboratoriais serão exclusivos para os pacientes internados.