APLP recore a Justiça contra ilegalidade da greve dos professores

APLP recore a Justiça contra ilegalidade da greve dos professores

O Departamento Jurídico da associação dos Professores de Licenciatura Plena do Estado (APLP-PB) vai impetrar um agravo de instrumento, nesta segunda-feira (27) junto ao Tribunal Justiça da Paraíba contra a decisão do desembargador João Alves da Silva que acatou pedido de ilegalidade da greve dos educadores.

Ontem, além de determinar o retorno dos professores às salas de aulas em 48h, desembargador estipulou multa diária de R$ 5.000 e o corte do ponto dos professores em caso de desobediência.

Os professores programaram uma série de atividades a partir desta terça-feira, a exemplo de Assembleias Regionais (locais a serem definidos, de acordo com a Regionais). Na quinta-feira (30) os docentes se reúnem em Assembleia Geral Estadual na quinta-feira (30), em frente da Assembleia Legislativa, a partir das 9 horas da manhã, para avaliar os rumos do movimento.

Os professores estão em greve desde o dia 31 de março e reivindicam reajuste 13,01%, por força de lei federal; reajuste de 9% e Regime de Trabalho T-30 para os funcionários; revisão do PCCR (Plano de Cargos, Carreira e Remuneração) do Magistério e aprovação do PCCR dos Funcionários; elevação da gratificação de diretor/a e eleições diretas em todas as escolas, além do pagamento Integral do piso do Magistério.

 

 

 

ClickPB