Antônio Eugênio e Osvaldo Barbosa, uma dupla que trouxe o sentimento de justiça para Conceição

Antônio Eugênio e Osvaldo Barbosa, uma dupla que trouxe o sentimento de justiça para Conceição

Batman e Robin podem ser famosos por isso, mas não são os únicos a formarem o que chamamos de dupla dinâmica. Mas, são essenciais juntos. É o mesmo que acontece com a dupla Mulder e Scully. É impossível imaginar um spin off ou um filme só com um deles. Arquivo X só funciona com os dois juntos. Isso ficou claro nos episódios sem Scully, quando ela é abduzida (o episódio chamado “3” da 2ª temporada, por exemplo, é terrível). Outros pares que também têm uma química incrível quando o assunto é justiça, são formados em cada recanto desse país, que clama por justiça e pede o fim da impunidade. É sempre essa a retórica, tanto do magistrado, Antônio Eugênio, quanto do promotor de justiça, Osvaldo Barbosa Lopes, juiz e promotor da cidade de Conceição, respectivamente: a busca pela justiça.

 

Donos de frases incríveis e absolutamente sinceras, no que tange a se fazer justiça, os dois estão fazendo história à frente da Comarca de Conceição.

Na página pessoal do promotor uma frase, a qual ele chama de marca registrada, chama a atenção, quando cada sentimento de justiça ocorre: “Ganhou à sociedade”. Evidentemente que o A da frase não tem crase, por não se tratar de uma fusão ou contração de duas vogais, uma final e outra inicial, em palavras unidas pelo sentido. Porém, como ele mesmo diz em tom de brincadeira: “Tiro a crase não, porque é uma marca registrada e o próprio sistema atualiza sozinho”.

Já o juiz Antônio Eugênio, que se diz fã do promotor Osvaldo Barbosa, é dono de frases de efeito, que traduzem verdadeiramente o seu sentimento, no momento em que faz a pronúncia de cada sentença, a exemplo da frase memorável da música ‘Disparada’, que ecoou durante o período da ditadura militar no Brasil, na época dos festivais de música popular brasileira, de composição de Geraldo Vandré e Théo de Barro, proferida no final de um júri popular, em que o réu foi condenado: “Porque gado a gente marca, tange, ferra, engorda e mata, mas com gente é diferente”.

No entanto, não é de frase de efeito que os dois mostram seus trabalhos. A dupla vive mesmo é de lutar para que a justiça seja feita e que, de fato, quem ganhe com isso seja a sociedade.
.
A partir de um trabalho sério de combate a criminalidade, por serem justos em todos os pilares, sobretudo, na recuperação dos apenados, por entenderem a importância da ressocialização, que o juiz e o promotor têm um grande respaldo junto à opinião pública da cidade de Conceição.

 

 

 

 

Vale do Piancó Notícias