Além de Maluf, MPE também pede impugnação de Marco Feliciano

Além de Maluf, MPE também pede impugnação de Marco Feliciano
Conhecido pelas polêmicas declarações contra gays e negros, o deputado federal Marco Antonio Feliciano (PSC) teve o pedido de impugnação da candidatura à reeleição registrado no Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP) nesta sexta-feira (25). 
O deputado faz parte de uma lista com 825 nomes que tiveram contestação judicial no Estado e deverá prestar esclarecimentos à Justiça para que a candidatura tenha validade na eleição de outubro. 
O pedido de inelegibilidade de Marco Feliciano foi aberto pelo Ministério Público Eleitoral (MPE), assinado pelo procurador regional André de Carvalho Ramos.
Na petição ao juiz do TRE-SP, o procurador afirma que o polêmico pastor deixou de anexar várias certidões que comprovam que os direitos políticos dele estão em ordem e valendo, conforme cópia do processo que o Terra Magazine teve acesso. 
Feliciano é a grande aposta do PSC como puxador de votos em 2014, justamente pela visibilidade que ganhou ao criticar as ações de gays, lésbicas e movimentos sociais no Congresso Nacional.
Na declaração que entregou para a Justiça Eleitoral neste ano, o pastou declarou ter dono de R$ 1.341.464,92 em bens pessoais. 
O valor é 111,3% maior que os R$ 634.800,00 declarados na eleição de 2010, quando foi eleito deputado federal pela primeira vez.
Além de Feliciano, os deputado federal Paulo Maluf (PP-SP) e mais treze deputados de São Paulo também terão que prestar esclarecimentos à Justiça Eleitoral para continuarem no pleito de outubro.

 

 

Terra