AL instala Frente das Energias Alternativas, presidida por Renato Gadelha

AL instala Frente das Energias Alternativas, presidida por Renato Gadelha

A Assembleia Legislativa instalou oficialmente na última sessão do semestre a Frente Parlamentar das Energias Alternativas. Proposta pelo deputado estadual Renato Gadelha (PSC), a Frente pretende discutir e viabilizar o uso e a geração de energia limpa na Paraíba.

No discurso de instalação, Renato afirmou que energia é sinônimo de desenvolvimento. “Hoje é inimaginável o mundo sem energia. No passado também. Foi graças à força dos ventos, energia eólica, que os grandes descobrimentos aconteceram”, observou Renato Gadelha.

O deputado lembrou também a importância da energia gerada pelo vapor e a consequente Revolução Industrial na Inglaterra. “Essas foram as primeiras máquinas poluidoras do meio ambiente, já que funcionavam com queima do carvão, mas foi a também a primeira grande mudança na vida das pessoas e no curso do desenvolvimento”.

Renato destacou a importância da energia elétrica, “a verdadeira revolução na vida das pessoas. A energia mais utilizada no mundo e cada vez mais necessária”. O deputado chamou a atenção para o potencial do Brasil na produção hidrelétrica, mas lembrou “os altos custos financeiros e ambientais desta matriz energética”.

Gadelha afirmou que o Brasil também tem potencial na geração de energia limpa e renovável, a exemplo da energia solar e da eólica. “Podemos transformar a Paraíba em um grande produtor de energia, coisa que nunca fomos. Temos os ventos do litoral e da Serra da Borborema, temos o escaldante sol do sertão. Não podemos fechar os olhos diante desta oportunidade”.

A Frente das Energias Alternativas pretende, justamente, transformar esse potencial em energia. “Além de gerar energia elétrica, é possível gerar renda. O excedente da produção doméstica, por exemplo, pode ser vendido às empresas geradoras do estado, se transformando em desconto na conta mensal”.

Renato destacou ainda a possibilidade da microgeração para levar energia elétrica a comunidades distantes. “Não teríamos custos com linhas de transmissão, transformadores e não dependeríamos das hidrelétricas”.

A Frente das Energias Renováveis vai mapear o potencial do estado e indicar a melhor forma de gerar energia limpa em cada região. “Já conhecemos o potencial do litoral norte, por exemplo, para energia eólica. Mas há outras formas de geração que ainda não discutimos, como a energia gerada através da força das marés. A Frente vai aprofundas discussões e apontas caminhos no sentido da adoção de fontes renováveis”.

O deputado garante que já existe um calendário pré-estabelecido para os encontros regionais da Frente, mas não detalhou datas ou locais. “Estamos em contato com empresas do setor, com a Academia e com várias prefeituras interessadas em participar dos debates. Em pouco tempo divulgaremos o cronograma completo da Frente das Energias Renováveis”, finalizou Renato Gadelha.

 

 

 

 

Assessoria