'Ainda sem acreditar', diz prefeito eleito por um voto de diferença

'Ainda sem acreditar', diz prefeito eleito por um voto de diferença

“Ao menos três eleitores acamados, que não teriam como ir à urna devido à doença, foram levados pelos filhos, votaram na nossa chapa”, contou Deyvisonn da Silva de Souza (PMDB) prefeito eleito de Pescaria Brava, no Sul de Santa Catarina. Ele venceu o atual prefeito Antonio Avelino Honorato Filho (PSDB) com um voto de diferença.

 

“O coração está apertado, ainda sem acreditar. Sempre soube que seria apertada a disputa, mas não imaginei que seria tanto. Quero honrar esses votos e cumprir as promessas da campanha”, disse. O candidato eleito pelo PMDB teve 2.751 votos, enquanto o do PSDB fez 2.750 votos.
 
Em 2012, Deyvisonn foi vencido por Antonio Avelino Honorato Filho por uma diferença de 281 votos. Segundo ele, para a campanha deste ano intensificou as visitas aos moradores e fez escolhas estratégicas.

 

“Tivemos uma coordenação local de campanha, indo de casa em casa para ouvir o desejo de mudança da comunidade. Acho que isso deu resultado, Deus olhou por nós e nos deu êxito”, declarou.

Deyvisonn foi vereador por dois mandatos em Laguna, município do qual Pescaria Brava se emancipou em 2012.

 

'Foi uma catástrofe'
Conforme Honorato, o sentimento da cidade é um misto de derrota e arrependimento. “Muita gente que deixou de votar está se culpando por não termos vencido, mas as pesquisas demonstravam que tínhamos uma larga vantagem sobre a oposição. Foi uma catástrofe”, disse.
 
“Um parente meu está inconformado pensando que o resultado poderia ter sido diferente, porque ele esqueceu o título e todos os demais documentos na casa de uma filha em Joinville e não pode votar ”, contou Antonio Honorato.
 
Recurso
Segundo o atual prefeito, os assessores jurídicos da campanha apuram duas denúncias sobre irregularidades que podem ter alterado o resultado.

 

“Ficamos sabendo de um eleitor nosso que foi votar e ao chegar à seção não encontrou o nome na lista e foi mandado embora. Quando os dados dele foram encontrados, o prazo para votação estava senso encerrado e não deu tempo de ele votar. Soubemos ainda que uma urna teria sido reiniciada devido a problemas, porque no lugar do candidato a vereador constava o candidato a prefeito. Os advogados estão cuidando disso e podemos recorrer à Justiça para rever este resultado”, disse.

O candidato eleito teve 41% dos votos válidos, enquanto seu oponente teve 40,99%. O vice eleito é Louro (PP). Ao todo, 6.922 eleitores foram às urnas em Pescaria Bravax. Destes, 96,92% foram votos válidos, que equivalem a 6.709. Abstenções foram 9,58%, nulos 2,01% e 1,07% brancos.

 

 

G1