Agricultores familiares e assentados lotam plenário da AL/PB em sessão comemorativa ao Dia do Agricultor

Agricultores familiares e assentados lotam plenário da AL/PB em sessão comemorativa ao Dia do Agricultor

Agricultores familiares e assentados da reforma agrária de várias regiões da Paraíba lotaram o plenário e as galerias da assembleia Legislativa do estadonesta sexta-feira (24), durante sessão especial realizada para comemorar o Dia do Agricultor e os 40 anos de fundação da Comissão Pastoral da Terra (CPT).

A sessão foi proposta pelo deputado estadual e ex-superintendente do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) na Paraíba Frei Anastácio e contou com a participação do superintendente regional da autarquia, Cleofas Caju, do delegado do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) no estado, Luiz Gonzaga Firmino Júnior, além derepresentantes da Central Única dos Trabalhadores (CUT), da CPT e das entidades que prestam Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater) nos assentamentos da reforma agrária na Paraíba. Também acompanharam a sessão professores universitários, estudantes, advogados e religiosos, a exemplo do padre João Maria e das Imãs Marlene e Albertina,membros fundadores da CPT no estado.

Na abertura da sessão, após cânticos e místicas apresentados pelos trabalhadores, o deputado Frei Anastácio elogiou os assentados da reforma agrária pela realização de feiras agroecológicas em todas as regiões da Paraíba. “Atualmente, já são quase 50 feiras com produtos sem nenhum tipo de veneno. As famílias estão produzindo cerca de 170 toneladas de alimentos por mês. Os trabalhadores da reforma agrária na Paraíba estão educando a população paraibana em relação ao consumo de produtos saudáveis”, afirmou o deputado.

O superintendente do Incra, Cleofas Caju, enalteceu, em seu pronunciamento, a atenção da Assembleia Legislativa à reforma agrária no estado. “Nós vemos o Poder Legislativo como um parceiro. Um exemplo disso é a lei estadual que instituiu o dia 19 de março como Dia Estadual de Combate ao Uso de Agrotóxicos, que inclusive incentiva as feiras agroecológicas. Outra ação é essa sessão, proposta por Frei Anastácio”, disse Caju.

O delegado do MDA, Luiz Gonzaga Firmino Júnior, destacou durante a sessão, que os trabalhadores rurais têm noGoverno Federal um aliado. “Desde o governo Lula até agora não foi registrado nenhum saque no Nordeste, nem em parte alguma no país, por causa da fome em períodos de seca. Isso era comum em outros governos, que não davam a atenção devida aos trabalhadores rurais”, disse Gonzaga.

O representante da CUT, Nelson Anacleto, também elogiou as políticas públicas voltadas ao homem do campo. “Em outros anos, numa sessão como esta, nós estaríamos aqui com uma extensa pauta de reivindicação e pouco a comemorar”, disse Anacleto.

A representante da CPT, Tânia Maria de Sousa, falou da resistência dos trabalhadores em busca da posse da terra. “As terras que conquistamos não são dádivas de políticos. Tudo é fruto da resistência dos trabalhadores. Se não fosse isso, essas famílias de 308 assentamentos da reforma agrária no estado estariam nas periferias das cidades mendigando o pão. Somos odiados pela sociedade. Mas, a nossa luta é necessária e não iremos parar”, afirmou Tânia.

O representante dos agricultores, Luiz Damázio de Oliveira, falou sobre a produção das feiras agroecológicas no estado. Ele disse que a primeira feira foi fundada em 2001 e, a cada dia, os agricultores estão levando mais produtos saudáveis para as cidades.

 

 

 

Assessoria