Agentes da PF na Paraíba aprovam indicativo de greve

Agentes da PF na Paraíba aprovam indicativo de greve

Os agentes da Polícia Federal decidiram por meio de assembleias sexta-feira (17) que podem parar as atividades no país a partir da semana que vem, inclusive na Paraíba. Os profissionais reclamam da Medida Provisória 657, que exige experiência de três anos para o delegado e graduação em Direito, o que já é exigido nos concursos.

Conforme as discussões, a orientação nacional é parar por 72 horas, a partir da 0h da terça-feira (21). De acordo com o Sindicato dos Policiais Federais na Paraíba, ocorreram assembleias em João Pessoa, Campina Grande e Patos, onde 42 dos 86 votantes optaram pelo indicativo de greve e 37 preferiram esperar até o dia 28 de outubro sem nenhuma paralisação.

Nesta segunda-feira (20), o Sinpef-PB faz uma assembleia extraordinária, às 16h, para definir como vai ocorrer a manifestação e a interrupção das atividades na Paraíba.

Segundo a Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef), os agentes, escrivães e papiloscopistas federais estão com salários defasados. A categoria alega que a Medida Provisória 657 restringe as chefias e o conceito de autoridade policial somente para o cargo de delegado, o que estaria criando uma hierarquia política nunca existente na PF, e retirando a autoridade e autonomia técnica dos demais policiais envolvidos nas investigações.

O presidente da Fenapef diz que a categoria quer a aprovação da MP 650, que regulamenta a exigência de nível superior para os policiais e concede a eles o aumento salarial de 15,8%. A MP será votada pelo Senado no dia 28, mas se não for aprovada, perderá a validade.


Assessoria