Advogada é detida supeita de repassar chips de celulares para detento em Campina Grande

Advogada é detida supeita de repassar chips de celulares para detento em Campina Grande

Uma advogada suspeita de ter entregue quatro chips de celular para um dos detentos da Penitenciária Padrão Regional de Campina Grande foi detida para esclarecimentos na manhã deste sábado.

De acordo com a polícia, ela tem o detento como cliente e teria feito a entrega durante a visita, mas o detento, que havia passado por revista antes de falar com a advogada, onde nada havia sido encontrado, disse que já estava com os chips antes da visita.

Mas o diretor da unidade prisional Alexandre Moreira, afirmou que os chips foram encontrados com o detento após a visita realizada pela advogada.


A advogada foi levada à Central de Polícia onde negou ter entregado os chips de celular ao detento. Foi feito um nTermo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) e a advogada liberada. O detento, segundo o diretor adjunto da penitenciária, vai ser penalizado com medidas administrativas por portar chips de celular na penitenciária.

 

 

 

Redação