Adriano Galdino pede laudo técnico ao Crea antes da volta do 'recesso branco' na próxima semana

Adriano Galdino pede laudo técnico ao Crea antes da volta do 'recesso branco' na próxima semana

Mesmo prevendo a volta dos trabalhos para a próxima quinta-feira (30), o presidente da Assembleia Legislativa, Adriano Galdino (PSB), disse hoje que os problemas surgidos na estrutura do prédio representam perigo aos deputados, funcionários e freqüentadores. Porém, vai depender de um laudo do Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura (Crea), “que solicitamos que fosse feito antes de voltarmos as atividades”, disse Galdino.

Não se pronunciou sobre possíveis responsabilidades da gestão anterior, mas não escondeu sua preocupação com os graves problemas surgidos nos últimos dias, que forçaram a suspender as atividades parlamentares. “É uma infiltração antiga, que nos causa preocupação porque exige um serviço que mexe com toda a estrutura do prédio da Assembleia”, destacou o presidente Adriano Galdino.

“Vamos retornar a normalidade dos trabalhos na próxima semana (quinta-feira). No entanto, antes estaremos solicitando um laudo ao Crea sobre as condições dos problemas da semana passada”, adiantou.

Galdino voltou a falar na construção de um novo prédio para a Assembleia, destacando que o maior obstáculo é o alto custo das obras. “Hoje, se nós fossemos construir uma nova Assembleia os custos chegariam a R$ 40 milhões, inviável para o atual momento”. Garantiu que está fazendo todo esforço neste sentido.

Chegou a prevê que se não acontecer em sua gestão, a construção de uma nova Assembleia poderá ocorrer no período do seu sucessor e deputado Gervásio Maia Filho (PMDB). “Vamos ver. Cuidaremos, primeiramente, dos problemas atuais para depois pensarmos no projeto maior”, afirmou.

Sobre as eleições de Campina Grande no próximo ano, o deputado Adriano Galdino retirou que “continuo na ‘reserva’ de Veneziano Vital. Ele é quem tem chances de vitória, mas estamos à disposição para assumir a titularidade”, tendo reiterado que “sou como Pelé na Copa do Mundo do Chile, que saiu da reserva para o posto de titular”.

Quando perguntado se gostaria de ser Pelé ou Romário, dois campeões mundiais pela Seleção Brasileiro, preferiu ser comparado a Zico. “Como pessoa humana é bem melhor”, concluiu.

 


Marcone Ferreira