Acabou risco de desabastecimento de combustível na PB, navio com 13.000 Tm de combustível chegou e outro com 18.000 Tm chega dia 13

Acabou risco de desabastecimento de combustível na PB, navio com 13.000 Tm de combustível chegou e outro com 18.000 Tm chega dia 13
 Acabou o risco de desabastecimento de combustível na Paraíba. O segundo navio com combustível atracou no Porto de Cabedelo às 5h50 desta sexta-feira (8). Segundo a presidente da Companhia Docas da Paraíba, Gilmara Temóteo, a embarcação trouxe 13 mil toneladas de combustível, sendo 8 mil toneladas de gasolina e 5 mil toneladas de óleo diesel. A retirada do combustível do navio começou logo cedo.
 
“Iniciamos imediatamente o processo de descarregamento da carga para os tanques de combustível”, informou Gilmara Temóteo, estimando cerca de 24 horas para o descarregamento total. Segundo salientou a gestora, após o descarregamento do produto para os tanques, a responsabilidade pela distribuição já não é mais do Porto, e sim das distribuidoras.
Já para os terminais bombearem todo o combustível para os caminhões, segundo o Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Estado da Paraíba (Sindipetro), deve levar em torno de três dias. De acordo com o Ministério Público da Paraíba (MPPB), durante o final de semana a Petrobras assumiu o compromisso de que os diretores dos terminais passem este final de semana todo trabalhando para abastecer os postos.
 
Novo navio - Gilmara adiantou, também, que no dia 13 de janeiro está prevista a chegada de mais um navio com combustível à Paraíba. Este, com 18 mil toneladas – 11 mil toneladas de gasolina e 7 mil toneladas de óleo diesel.
 
O promotor dos Direitos do Consumidor de João Pessoa, Gualberto Bezerra, também recebeu ofício do diretor de abastecimento do Nordeste, João Braga, da Petrobras, confirmando a previsão do novo navio, entre os dias 12 e 14. “Além disso, doutor João Braga está reforçando mais 2.200 toneladas, que chegará aqui nesta semana através de caminhões, de Guamoré (no Rio Grande do Norte) e de Suape (em Pernambuco)”, disse, anunciando que esse cronograma acaba a possibilidade de desabastecimento.
 
No entanto, em relação aos preços, o promotor Gualberto Bezerra disse que o aumento será investigado. Ele esclareceu que não existe tabelamento de preço, mas não pode haver aumento sem justa causa. “Quem se aproveitou do problema e elevou o preço, nós vamos investigar, mas isso tem que ser documentalmente”, disse.
 
Conforme o promotor, o Ministério Público está requisitando à Agência Nacional do Petróleo (ANP) e à Receita Estadual informações dos valores do combustível praticado pelas distribuidoras e pelos postos. O MPPB fará a verificação dos custos operacionais. Caso seja constatada irregularidade, pode resultar em multa e inquérito policial.
 
“Também estamos apurando a responsabilidade da ANP pela inércia, além da responsabilidade pelo prejuízo que a Petrobras causou, inclusive esse aumento, alterou os valores de mercado”, disse o promotor. Segundo o Sindipetro, a elevação do preço por parte das distribuidoras varia de R$ 0,08 a R$ 0,12 centavos no litro do combustível, devido à elevação do ICMS, que saiu de 27% para 29% na Paraíba.
 
 
 
 
 
 
Fonte: RP