70% das crianças de hoje estarão empregadas em profissões que ainda não foram inventadas

70% das crianças de hoje estarão empregadas em profissões que ainda não foram inventadas

Sete de cada dez das crianças de hoje trabalharão num profissão que ainda não existe. Essa é a conclusão de Abel Linares, um empreendedor espanhol que participou do encontro “Um futuro cheio de oportunidades, está preparado?”, organizado pelo Centro de Inovação BBVA, de Madrid.

“70% das crianças que hoje estão indo às creches, quando crescerem trabalharão em profissões que ainda não foram inventadas. […] É necessário mudar nossa forma de pensar”, afirmou Abel durante o encontro.

Para ele, é preciso pensar numa forma diferente de ensinar as crianças.

“É necessário apoiar e facilitar a transição para um aprendizado digital, mas é necessário ter cuidado, porque além de meios tecnológicos é mais do que necessário gerar conteúdos motivadores. Devemos potencializar o interesse, a motivação e o envolvimento dos alunos”, completou Fernando Rodríguez, fundador da Toovari, uma Startup espanhola focada em formas de melhorar o aprendizado de alunos com dificuldades na escola. “De verdade, estamos preparando os jovens para esses empregos do futuro? E estamos usando as ferramentas adequadas?”, perguntava.

Para os palestrantes do evento, algumas possíveis profissões do futuro são telecirurgião, designer de próteses 3D e operador de drones. Para eles, o avanço da tecnologia está mudando a forma de aprendizado e criando novas profissões e a demanda por profissionais especializados só tende a crescer.

“O futuro será digital em um mundo interconectado, e cada empresa, seja qual for seu setor de atividade, terá que fazer parte desse mundo e, portanto, as características das pessoas que a compõem não podem continuar sendo as mesmas”, dizem os organizadores.

Outro palestrante, Pep Gómez, fundador da Fever Labs, falou sobre o perfil de empreendedor do século XXI:

“Resiliência é a chave, isto é, saber como encarar os fracassos e seguir tentando. É a única forma de aprender. É preciso escutar as pessoas e saber como motivá-las”.

O empreendedor não discorda dos outros participantes:

“Só agora, nós estamos percebendo que precisaremos de profissionais que não existem, perfis que ainda estão por serem inventados”.

O evento ocorreu na última quarta-feira (18/09) em Madrid, na Espanha. Com o objetivo de discutir os empregos e a sociedade dos próximos 10 anos, o fórum contou com a participação de empresários e diretores de startups das áreas de educação e aplicações móveis. O evento completo está disponível para visualização em espanhol no Youtube,  ainda sem legendas para o português.


 

Spotniks