4 x 3: Presidente do TRE desempata e vota pela manutenção da aliança PT/PSB

4 x 3: Presidente do TRE desempata e vota pela manutenção da aliança PT/PSB

A votação do Demonstrativo de Regularidades de Atos Partidários (DRAP) número 19952/2014 da coligação a 'Força do Trabalho' que trata da aliança entre PT e PSB, na tarde desta segunda (4), foi acirrada. Empatou no último voto e foi decidida pelo voto de minerva do presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), Saulo Benevides. 

A votação começou com a leitura do relator do processo, dr. João Alves, que foi favorável ao deferimento da DRAP que permite a coligação destes partidos. Em sua justificativa, Alves apontou entre outros motivos, que as 'próprias orientações nacionais' do PT possibilitaram a aliança com o PSB no Estado já que a Nacional pedia uma aliança preferencial, mas não obrigatória com o PMDB.

O Partido dos Trabalhadores pede a validade da coligação com o PSB, do governador Ricardo Coutinho (PSB), enquanto que a Executiva Nacional quer o registro do partido junto com o PMDB, do senador e candidato ao Governo, Vital do Rêgo Filho.

O juiz Dr. Tércio Chaves de Moura, acompanhou o voto do relator, votando contrário ao pedido de impugnação da coligação. 

O terceiro a votar foi o juiz Sylvio Porto, que abriu divergência e votou pela impugnação da coligação PT/PSB. Declarando, inclusive nula a convenção do PT que decidiu pela coligação com o PSB, sendo favorável à coligação PMDB/PT.

Dr. Breno Wanderley César Segundo seguiu o voto do Juiz Sylvio Porto e votou contra.

O próximo a votar foi o Dr. Eduardo José de Carvalho Soares que acompanhou o relator sendo favorável a manutenção da aliança do PT com o PSB.

Em seguida, o juiz Rudival Gama acompanhou a divergência e deixou o placar empatado. O voto de minerva ficou para o presidente do TRE, Dr. Saulo Benevides que foi favorável à coligação PT/PSB. 

 


Marília Domingues