Veja como foi a avaliação de Cássio, Ricardo e Veneziano sobre a aliança entre Eduardo Campos/Marina Silva e os desdobramentos na Paraíba...

07/10/2013 15:52
O jornalista Clilson Júnior, do ClickPB, trouxe neste domingo (05) a avaliação, sobre a aliança entre Eduardo Campos/Marina Silva, dos prováveis candidatos que estarão disputando o governo em 2014 na Paraíba: o senador Cássio Cunha Lima (PSDB), o governador Ricardo Coutinho (PSB) e o ex-prefeito de CG Veneziano (PMDB). A incógnita, pelo menos, restringe-se à Cássio. Veja, a seguir, o que cada um deles disse sobre os desdobramentos na Paraíba:
 
Senador Cássio Cunha Lima:
Clilson Júnior - Na Folha de S. Paulo o senhor comemorou a ida de Marina para o PSB. O PSDB não fica enfraquecido com Marina Silva e Eduardo Campos juntos?
Cássio responde - Enfraquece o Governo, isso sim. Ganha a oposição! Isso que importa.
Clilson Júnior - Qual o reflexo prático disso na Paraíba? Fortalece a união do PSDB e PSB, já que na Paraíba o PSDB é governo. Alguma relação para 2014?
Cássio responde - Neste instante o que vale é a importância do gesto de Marina fortalecendo as oposições. As consequências eleitorais veremos depois.
Clilson Júnior - Em política, só há dois campos: ou você é oposição ou é governo. A opção de Marina fortalece as oposições. E isso deve ser celebrado.” Na Paraíba o PSDB é governo. Diante de um turbilhão de estórias, boatos, tendências, tensões e o que se escuta nos quatro cantos deste pequenino estado, o PSDB na Paraíba poderá assumir o espaço da oposição e ter candidato? O senhor, pessoalmente, só trata isso ano que vem ou é fato consumado manter essa mesma aliança de 2010 que elegeu Cássio, Rômulo e Ricardo?
Cássio responde - Na minha visão, como resumo da ópera: ganha a oposição com a divisão da base do Governo, afinal são dois ex-ministros que se afastam do PT e vence a democracia com a possibilidade de mais candidaturas. Não vamos esquecer que até ontem as candidaturas de Marina e Eduardo Campos eram dúvidas. Sobre eleições na Paraíba, tratarei desse tema em 2014, como tenho dito de forma repetida.
 
Governador Ricardo Coutinho:
Clilson Júnior - Como o senhor viu a filiação de Marina no PSB? Qual sua avaliação?
Ricardo responde - Olha Clilson, Eduardo Campos não será um candidato para marcar posição. É candidato para ganhar as eleições, com votos e programa de governo. A presença de Marina dá aos dois, uma densidade ampliada e que coloca Eduardo como uma candidatura real à Presidência. Marina é a primeira de muitas outras "novidades" que surgirão na cena política.
Clilson Júnior - Governador, acabo de falar com o senador Cássio. Na avaliação dele, a oposição saiu fortalecida. Palavras dele "Enfraquece o Governo, isso sim. Ganha a oposição! Isso que importa". Pergunto: isso fortalece a união PSB/PSDB na Paraíba numa projeção para 2014? Isso fortalece a ideia de manter essa mesma aliança de 2010 que elegeu Cássio, Rômulo e Ricardo?
Ricardo responde - Meu pensamento e ação é manter a aliança e fortalecê-la. Não existe nenhuma razão para fazermos diferente.
 

Ex-prefeito de CG Veneziano Vital do Rêgo:
Clilson Júnior - Essa filiação de Marina no PSB de Eduardo Campos para o senhor é uma surpresa?
Veneziano responde - Olha Clilson, uma surpresa não só para mim, mas imagino que para muita gente. Confesso que essa aliança de duas pessoas sem desgastes de imagem é um fato novo que terá desdobramentos. A ex-senadora Marina é uma mulher respeitada e Eduardo Campos é um grande político. Acho que juntos tiram votos de Aécio e Dilma e levam a disputa para o segundo turno. Mas é cedo para uma avaliação mais sensata. Alguns dizem que imagem da Marina poderá ser afetada por essa ida ao PSB. Mas isso é muito cedo. Foi impactante.
Clilson Júnior - Com esse novo cenário, haverá desdobramentos na Paraíba para as eleições de 2014?
Veneziano responde - Imagino que sim. O tabuleiro foi mexido e deve mudar, já que Aécio Neves que é candidato a presidente do Brasil e imaginava até bem pouco tempo que teria dois palanques na Paraíba, o de Ricardo e o de Cássio Cunha Lima, ambos governistas. Agora ele deve repensar e com certeza a relação política entre Campos e Aécio deverá ser outra, cada um com objetivos e palanques definidos em cada estado e na Paraíba isso não será diferente.