Protestos invadem o Centro de João Pessoa e deixam trânsito caótico nesta quinta-feira

25/07/2013 15:07

A manhã desta quinta-feira (25) em João Pessoa foi marcada por três protestos.

Dois deles, motoristas e agricultores, interromperam as principais ruas do Centro da Capital. Os estudantes também realizaram protestos na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) desde quarta-feira (24).

O protesto dos motoristas aconteceu exatamente no Dia do Motorista. Foram mais de 500 taxistas que percorreram as principais ruas do Centro de João Pessoa.

Eles saíram da praça Pedro Gondim, desceram a avenida Camilo de Holanda, Parque Sólon de Lucena (Lagoa), viaduto da avenida Miguel Couto, Terminal da Integração do Varadouro, Comando Geral da Polícia Militar e Paço Municipal.

 

De acordo com o presidente do Sindicato dos Taxistas, Antônio Henriques Filho, o objetivo da manifestação é contra o avanço do transporte clandestino na cidade, a invasão de taxistas de outros municípios, propina em hotéis, fiscalização à noite. Eles pararam em frente ao Paço Municipal e foram recebidos pelo chefe de gabinete da Prefeitura de João Pessoa, Zennedy Bezerra. 

 

"Por falta de tempo na agenda, o prefeito não conseguiu chegar ao Paço e receber a categoria", disse Zennedy Bezerra.

 

As manifestações fizeram com que a Semob realizasse um esquema especial de trânsito para evitar transtornos da população. Segundo a Superintendência de Mobilidade Urbana (Semob), as linhas de ônibus estão descendo até a Lagoa e retornando para os bairros, com exceção do corredor da Via Oeste e a avenida Tancredo Neves.

Já a manifestação dos agricultores, chamada de 'Grito da Terra Paraíba', foi em comemoração ao dia do Trabalhador Rural, e participaram cerca de 5 mil trabalhadores de vários municípios paraibanos. Objetivo foi cobrar do Poder Público respostas para os principais problemas enfrentados pela população do Campo, na Paraíba.

Eles saíram da sede da Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado da Paraíba (Fetag-PB) e seguiram em caminhada a Praça João Pessoa, onde ocorreu uma sessão especial na Assembleia Legislativa, de forma campal, em homenagens aos 50 anos do órgão. Também houve um ato público, quando os manifestantes entregaram ao governador Ricardo Coutinho, os 111 pontos da pauta de reivindicações.

 

O governador após as manifestações resolveu alterar a agenda administrativa e recebeu uma comissão formada por agricultores nesta quinta-feira.

 

Protestos dos estudantes

O plenário da Assembleia Legislativa continua tomado por manifestantes na manhã desta quinta-feira (25). Representantes do Movimento Passe Livre ocupam o plenário da Casa Epitácio Pessoa desde as 16h dessa quarta-feira (24). De acordo um dos líderes da mobilização, Tácio Texeira, cerca de 40 pessoas dormiram na ALPB. A manifestação é pacífica.

 

O grupo levou barracas, comida, água e outros materiais para permanecer no plenário. “Chegamos aqui na tarde de ontem. Mais de 40 pessoas dormiram no Assembleia. Para dormir foi tranquilo, nós recebemos doações para nossa alimentação de sindicatos. A solidariedade dos trabalhadores ajudou bastante”, contou.

 

Segundo Tácio Texeira, nesta manhã, mais de 100 manifestantes estão à espera do presidente da ALPB, deputado estadual Ricardo Marcelo (PEN), para apresentar as reivindicações do movimento. Ele informou que os manifestantes só deixarão o plenário da ALPB quando forem atendidos em suas pautas.

 

Os manifestantes exigem que seja instaurada pelo Legislativo uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para investigar o faturamento do das empresas de transporte público de João Pessoa e outra para averiguar o suposto esquema de desvio de verbas do programa de internet, Jampa Digital, além da redução nas tarifas de ônibus, passe livre para estudantes e a revogabilidade da lei que possibilita a privatização de políticas públicas.

 

De acordo Tácio Texeira, o movimento permanecerá no local até serem atendidos também pelo governador do Estado, Ricardo Coutinho (PSB), e pelo prefeito da Capital paraibana, Luciano Cartaxo (PT).

 

O prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo, já havia reduzido o valor das passagens dos ônibus em R$ 0,10. O mesmo foi feito pelo governador Ricardo Coutinho em relação às tarifas dos transportes coletivos nas regiões metropolitanas de João Pessoa e Campina Grande. Os manifestantes querem o passe livre.

 

Fonte: Priscila Andrade