Princesas dos tempos modernos

03/08/2013 16:35

Formada em Arquitetura, a miss Curitiba Thayana Hey se inscreveu no concurso sem muitas expectativas

Ser modelo é o sonho de muitas meninas, mas para algumas não basta desfilar e fotografar, é preciso também servir como referência de comportamento e delicadeza, quase que como uma princesa. É essa ideia que ainda movimenta os concursos de miss, mesmo que hoje ele já não tenha mais a importância e o glamour que teve até a década de 90.

Embora o padrão de beleza exigido para uma miss tenha mudado ao longo de mais de 60 anos de concurso –  hoje o modelo de corpo é mais magro que antes – a essência permanece a mesma. As garotas, além de bonitas, precisam se mostrar modelos de comportamento. “Para imaginar como elas devem ser é só observar a ‘princesa’ britânica Kate Middleton. Até os gestos que elas fazem durante o desfile é semelhante”, define o booker da agência de modelo Casablanca, Leandro Atylla, que já organizou alguns concursos de misses em Curitiba.

Para compor esse padrão, alguns requisitos são necessários. O primeiro deles é ter entre 18 e 25 anos, não ter filhos e não ser casada – ou mesmo ter morado com alguém – e estar antenada com o que acontece no mundo, pois as candidatas ainda precisam responder a perguntas de conhecimento geral durante o concurso. Segundo o organizador do Miss Paraná, Waal Barrionuevo, mostra-se inteligente é essencial, pois faz parte da imagem de mulher perfeita.

Fonte de renda

Mas o que ajuda nisso é que muitas delas são também estudantes universitárias ou até formadas. Portanto, ser miss não é o ponto principal de suas vidas, mas apenas uma etapa que pode, inclusive, ser uma boa fonte de renda. Depois de eleitas, muitas são chamadas para diversos eventos, trabalhos fotográficos ou para promover alguma marca. Por cada um recebem um valor que pode ajudá-las a pagar os estudos ou fazer uma poupança para o futuro. Para as misses Paraná, por exemplo, o cachê fica entre R$ 1 mil e R$ 3 mil por trabalho. Para uma Miss Brasil ele vai de R$ 5 mil a R$ 8 mil.

A miss Curitiba 2013, Thayana Hey, 22 anos, se enquadra nesse perfil. Formada em Arquitetura, ela estava focada na carreira e participar do concurso foi algo que aconteceu sem planejamento, espontaneamente. “Minha mãe sempre gostou de assistir pela televisão e eu via com ela. Quando soube do Miss Curitiba resolvi me inscrever, mas nunca fui modelo nem me preparei para isso”, conta.

Depois de ser coroada, ela teve de lidar com um dia a dia um pouco mais corrido, pois foi necessário conciliar trabalho, estudos – ela agora faz pós-graduação – e eventos para os quais é convidada. Mas nada que, segundo ela, não dê para tocar sem estresse.

Preparo

Existem, claro, aquelas meninas que não apenas se inscrevem nos concursos, mas que querem se preparar para ele. Nesse caso, há duas opções segundo Atylla. Uma delas é buscar um curso de modelo mesmo, que vai ensinar a desfilar e  se portar perante o público, ou ir atrás de cursos de etiqueta e postura.

Porém, para algumas o universo das misses aparece de outra forma. Elas não se inscrevem espontaneamente nem vão atrás de cursos preparatórios, mas são achadas por “olheiros” – aquelas pessoas que ficam ligadas em meninas com o perfil tanto de modelo quanto de miss e fazem o convite para uma agência.

Não caia na armadilha do padrão de beleza

O padrão estético exigido pela indústria dos concursos de beleza está muito longe da média de beleza das garotas brasileiras. Aquilo que aparece nas passarelas e estampado em fotos de revista não condiz com a realidade da maioria das jovens, tanto em relação às características físicas quanto ao peso. Esses meninos e meninas dos concursos de miss e mister são, na verdade, exceções. Porém, quando nem todo mundo entende isso, esse estereótipo pode gerar uma obsessão, principalmente nas meninas que, em busca de um peso muito baixo e do rosto perfeito, apelam para dietas malucas e cirurgia plástica.

Para que isso não se torne uma doença, como depressão, os psicólogos dão a dica: em primeiro lugar é preciso ter em mente que nem todo mundo acha que bonito é só aquilo que está no mundo da moda. É importante se valorizar da forma como é, sabendo que a beleza existe e se manifesta de diversas maneiras. “Na adolescência, é normal se sentir feio em algumas situações. O corpo está mudando e é preciso se adaptar. Se sentir feliz com sua aparência depende de autoconhecimento e de aceitação”, diz a psicóloga e professora da Pontifícia Univer­­­sidade Católica do Paraná (PUCPR) Graziela Sapienza.

Mister – Para eles, a intenção é ser popular

Se para as meninas concurso de miss é a possibilidade de se sentir uma princesa, para os meninos é a chance de ser popular, de se mostrar o cara perfeito e certinho. Mesmo que ainda exista um certo preconceito, já que tradicionalmente esse tipo de concurso era voltado para os sexo feminino, muitos rapazes se interessam em disputar a faixa.

No caso deles, ser mister é algo bem casado com a carreira de modelo. De acordo com o organizador dos concursos de Miss e Mister Paraná, Waal Barrionuevo, metade dos candidatos eram modelos antes ou querem ingressar no mundo da moda.

Para concorrer, também existem alguns pré-requisitos. A faixa etária é mais ampla do que para as meninas – vai dos 18 aos 27 anos. Eles também não podem ser casados ou ter filhos e precisam mostrar que são também, além de belos, inteligentes.

Carlos Eduardo Reis, 19 anos, que foi Mister Brasil Universo Juvenil 2012, trabalhava como modelo, queria decolar na carreira e por isso resolveu se candidatar a mister, depois que recebeu um convite e foi incentivado pela família e amigos. “Resolvi participar para ver como funcionava. Queria fazer contatos, pois nesse meio sempre é útil. Realmente funcionou. Conheci muita gente do Brasil todo”, conta o jovem de Campo Largo.

Agora, ele investe em um curso de inglês para ajudar na profissão – que viaja bastante – e planeja até, quem sabe, fazer um curso de teatro para possíveis futuros trabalhos.

Bizarro – Hoje em dia existe uma quantidade imensa de concursos de miss e mister ao redor do mundo, que vão além das categorias tradicionais. Alguns até chegam a ser curiosos e engraçados. Confira:

•  Miss e Mister Teenager Paraná

•  Miss Beleza Artificial da China

•  Miss Irlanda Alternativa

•  Miss Átomo (Rússia)

•  Miss Gótica

•  Miss Presidiária (Lituânia)

•  Miss Bumbum (Alemanha)

•  Miss Rainha Internacional do Turismo (mundial)