Papa pede que a sociedade valorize diálogo entre jovens e idosos

26/07/2013 13:29

Na oração do Ângelus no Palácio São Joaquim após se reunir com detentos, Francisco destaca a importância dos avós na família

Papa pede que a sociedade valorize diálogo entre jovens e idososO papa Francisco pede que a sociedade abra espaço e valorize o diálogo entre jovens e idosos, reforçando sua mensagem de que ninguém deve ser "descartado". Na oração do Ângelus no Palácio São Joaquim, no Rio, nesta sexta-feira, 26, o pontífice fez questão de insistir na importância dos mais idosos para a sociedade. Ele pede um diálogo entre as gerações, "um tesouro que deve ser conservado e alimentado".

O papa lembrou que, hoje para a Igreja, comemora-se o dia dos avós e a festa de São Joaquim e Sant'Ana, e fez questão de dedicar sua oração a esse segmento. "Como os avós são importantes na vida da família, para comunicar o patrimônio da humanidade e de fé que é essencial para qualquer sociedade", declarou.

 

"Nesta Jornada Mundial da Juventude, os jovens querem saudar os avós e agradecem pelo testemunho de sabedoria que nos oferecem continuamente", disse.

 

Antes, o papa se reuniu com cinco detentos, algo que já vinha fazendo tanto em Roma quanto em Buenos Aires. No final do dia, em Copacabana, Francisco participa da Via-crúcis, com milhares de jovens.

 

Leia a íntegra da oração:

 

Caríssimos irmãos e amigos, bom dia!

 

Dou graças à divina Providência por ter guiado meus passos até aqui, na cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro. Agradeço de coração sincero a Dom Orani e também a vocês pelo acolhimento tão caloroso, com que manifestam seu carinho pelo sucessor de Pedro. Desejaria que a minha passagem por esta cidade do Rio renovasse em todos o amor a Cristo e à Igreja, a alegria de estar unidos a Ele e de pertencer à Igreja e o compromisso de viver e testemunhar a fé.

 

Uma belíssima expressão da fé do povo é a "Hora da Ave Maria". É uma oração simples que se reza nos três momentos característicos da jornada que marcam o ritmo da nossa atividade quotidiana: de manhã, ao meio-dia e ao anoitecer. É, porém, uma oração importante; convido a todos a rezá-la com a Ave Maria. Lembra-nos de um acontecimento luminoso que transformou a história: a Encarnação, o Filho de Deus se fez homem em Jesus de Nazaré.

 

Hoje a Igreja celebra os pais da Virgem Maria, os avós de Jesus: São Joaquim e Sant'Ana. Na casa deles, veio ao mundo Maria, trazendo consigo aquele mistério extraordinário da Imaculada Conceição; na casa deles, cresceu, acompanhada pelo seu amor e pela sua fé; na casa deles, aprendeu a escutar o Senhor e seguir a sua vontade. São Joaquim e Sant'Ana fazem parte de uma longa corrente que transmitiu a fé e o amor a Deus, no calor da família, até Maria, que acolheu em seu seio o Filho de Deus e o ofereceu ao mundo, ofereceu-o a nós. Vemos aqui o valor precioso da família como lugar privilegiado para transmitir a fé! Olhando para o ambiente familiar, queria destacar uma coisa: hoje, na festa de São Joaquim e Sant'Ana, no Brasil como em outros países, se celebra a festa dos avós. Como os avós são importantes na vida da família, para comunicar o patrimônio de humanidade e de fé que é essencial para qualquer sociedade! E como é importante o encontro e o diálogo entre as gerações, principalmente dentro da família. O Documento de Aparecida nos recorda: "Crianças e anciãos constroem o futuro dos povos; as crianças porque levarão por adiante a história, os anciãos porque transmitem a experiência e a sabedoria de suas vidas". Esta relação, este diálogo entre as gerações é um tesouro que deve ser conservado e alimentado! Nesta Jornada Mundial da Juventude, os jovens querem saudar os avós. Eles saúdam os seus avós com muito carinho e lhes agradecem pelo testemunho de sabedoria que nos oferecem continuamente.

 

E agora, nesta praça, nas ruas adjacentes, nas casas que acompanham conosco este momento de oração, sintamo-nos como uma única grande família e nos dirijamos a Maria para que guarde as nossas famílias, faça delas lares de fé e de amor, onde se sinta a presença do seu Filho Jesus (reza do Ângelus).

Casa visitada pelo Papa Francisco em Manguinhos foi de uma paraibana: 'Vou ser outra pessoa"

Um privilégio de poucos, foi assim que se sentiu a paraibana Maria Lúcia dos Santos, quando o papa Francisco escolheu sua casa para visitar.
 
Ela que mora no Rio de Janeiro há 38 anos disse que: "nunca mais vou tirar da memória esse momento”. 
 
A visita do papa foi à comunidade de Varginha, no complexo de Manguinhos, na zona norte do Rio de Janeiro.
 
A paraibana ganhou um terço abençoado pelo pontífice, em sua visita de pouco mais de uma hora a Varginha, ainda fez uma oração na igreja São Jerônimo Emiliani, logo na entrada da comunidade.
 
Com a residência tomada por vários jornalistas e fotógrafos do mundo todo, a dona de casa disse: "Agora eu preciso descansar”.
 
Maria Lúcia revelou que sua vida mudaria após essa visita. “Acho que depois disso a vida muda, não tem como não mudar. Vou ser outra pessoa", finalizou.

Papa desce do papamóvel e beija mão de senhora de 99 anos

Durante o trajeto que fez de papamóvel até o Palácio São Joaquim, o papa Francisco desceu do veículo e deu beijos em duas senhoras. Uma delas, dona Vanda, a segunda a receber um beijo do papa, completará 100 anos em dezembro e mal podia conter a emoção após o contato com Francisco. Os voluntários que estavam perto, na Rua da Glória, a poucos metros do São Joaquim, providenciaram um banquinho para que ela se sentasse.

"Moro com ela e a levo toda semana à igreja", contou o neto Alexandre Blasifera, músico de 40 anos. "Depois que ele desceu do papamóvel e foi até a outra senhora, as pessoas ao nosso redor começaram a chamá-lo para dizer que ela tinha 100 anos. O dom Orani (Tempesta, arcebispo do Rio) viu e a mostrou para o papa, que veio", contou o neto. "Ele a beijou e disse algumas coisas para ela, não consegui ouvir porque tinha muita gente, mas gravei um vídeo e depois vou ver", disse. Quando o papa se aproximou de dona Vanda, todos os fiéis e peregrinos que estavam perto se aproximaram para chegar mais próximo do pontífice.

Durante o trajeto ele beijou mais de 27 crianças, a maioria bebês. Num dos pontos, um garotinho não conteve a emoção, ficou conversando com o papa e parecia não mais querer largá-lo. Durante todo o percurso do cortejo, peregrinos corriam do lado de fora dos gradis, tentando acompanhar o pontífice. Freiras também corriam com a multidão.

Fonte: MSN / Portal Correio / Estadão