Ilha do Caribe tem pirataria legalizada

09/07/2013 22:03

O pequeno arquipélago de Antígua e Barbuda, no Caribe, pode tirar o foco dos Estados Unidos sobre a Nova Zelândia, local onde vive o polêmico Kim Dotcom, acusado de violação de direitos autorais, e que abriga a sede do seu novo serviço de armazenamento de arquivos, o Mega.

O país caribenho planeja criar um site para vender músicas, filmes e software produzidos por empresas americanas, sem recolher direito autoral. E tem autorização da Organização Mundial do Comércio (OMC) para fazer isso.

TAGS

///
 

Leis que proibiram os americanos de frequentar sites de jogos de azar estrangeiros, criadas no início da última década, tiveram grande impacto na economia de Antígua. Os prejuízos foram tão grandes que o país caribenho decidiu pedir à OMC uma autorização para retaliação.

A permissão foi concedida, desde que o dano chegue ao máximo de 21 milhões de dólares por ano. Os preparativos para o anúncio do serviço estão em fase final. O lançamento só depende de o assunto entrar na pauta da próxima reunião mensal da OMC. Um dos modelos estudados seria a cobrança de 5 dólares por mês pelo acesso ao conteúdo.

Fonte: INFO