Em coletiva, Rômulo lamenta indiciamento e coloca sigilo bancário à disposição da PF

23/07/2013 15:00

Ao lado da esposa, a deputada Eva Gouveia (PSD) e também da secretária de comunicação do Governo do Estado, Estela Bezerra (PSB), o vice-governador da Paraíba, Rômulo Gouveia (PSD) lamentou, na manhã desta terça-feira (23), durante coletiva à imprensa, o indiciamento do seu nome na investigação sobre suposta fraude no programa Jampa Digital, na Capital da Paraíba.


Rômulo explicou que, como deputado federal, apenas destinou a emenda para que fosse implantado um programa de internet que beneficiasse a população local e, ele, não teria como acompanhar a aplicação dos recursos das emendas que destina.

“Como deputado não destinei essa única emenda na minha vida, também destinei emendas para o Hospital Laureano, para construção de estradas, para saneamento e, no referido caso do Jampa Digital, o único papel que assinei foi esse que destina a emenda para o programa, não tenho como fazer o acompanhamento da aplicação dos recursos de todas as emendas que destino”, explicou.

Ainda em seu relato, durante coletiva de imprensa, Rômulo lembrou que no processo não há nenhuma prova material que o incrimine ou que aponte seu envolvimento na suposta fraude a não ser 'suposições'.

“Não sou de me furtar dos debates, mas eu só poderia falar sobre isso com conhecimento de causa e eu não posso aceitar um indiciamento sem que haja nenhuma prova material que me incrimine”, falou.

O vice-governador fez um breve relato da sua trajetória política e destacou que essa era a primeira vez que tinha o nome envolvido em um escândalo.

“Tenho a consciência tranquila, estou agindo com serenidade e fé em Deus pois tenho plena certeza que não tenho nenhum envolvimento neste caso e não há nenhuma prova material contra Rômulo Gouveia. Passei pela Câmara de Campina duas vezes como vereador, fui presidente daquela Casa, assim como da Assembleia Legislativa, fui secretário executivo e sempre tive todas as minhas contas aprovadas, o que me dá um atestado de compromisso com a coisa pública”, ressaltou.

Rômulo se colocou a disposição da justiça para ter o sigilo bancário dele e da esposa Eva Gouveia quebrado, para que todas as suposições sejam descartadas, uma a uma.

“O tempo da justiça haverá de esclarecer todos os fatos, pois confio na verdade, confio em Deus e tenho consciência de que não tenho nenhum envolvimento nessa suposta fraude. Quem puder leia o inquérito, observe e veja que não há nenhuma consistência no que diz respeito a citação do meu nome, há apenas suposições porque a PF encontrou o nome de um assessor na agenda do empresário da Idéia Digital”, finalizou.  

O vice-governador distribuiu para a imprensa um breve currículo de sua atuação política nos últimos anos enfatizando que sua trajetória não possui manchas, mas sim marcas que ajudaram a colaborar no desenvolvimento da Paraíba.

Fonte: Márcia Dias PB Agora