Com gol decisivo de Waldison, Fortaleza vence o Treze no PV

27/07/2013 21:16

A estreia não poderia ser melhor para Waldison. Com gol decisivo do atacante, o Fortaleza venceu o Treze por 3 a 2, neste sábado, no Estádio Presidente Vargas, pela sexta rodada da Série C do Campeonato Brasileiro. O Leão chegou a estar atrás no placar por duas vezes, mas Assisinho marcou dois e viu Waldison decretar a vitória tricolor.

Com o triunfo, o Fortaleza pulou para a segunda colocação, com 13 pontos, atrás apenas do Sampaio Corrêa. Já a equipe de Vica fica em uma situação ainda mais complicada, estacionada na zona de rebaixamento, com apenas quatro pontos. Em nono, o Galo pode cair para a 10ª posição caso o Baraúnas vença o Santa Cruz neste domingo.

Na próxima rodada, o Fortaleza enfrenta o Luverdense, no sábado (3), às 17 horas, no Passo das Emas. Também pela 7ª rodada, o Treze encara o Brasiliense, no domingo, às 19 horas, no Estádio Presidente Vargas, na Paraíba.

Pressão, mas nada de gols

A casa não estava cheia como o Fortaleza queria, mas a atitude do time de Hélio dos Anjos era de quem não queria repetir o filme dos dois últimos jogos. Nos primeiros minutos, o Fortaleza subia para o ataque e apostava nos lançamentos para Assisinho e para o estreante Waldison. Os visitantes pouco tocavam na bola e se concentravam na defesa. O Leão chegou pela primeira vez em cobrança de escanteio apimentada de Guaru, aos oito minutos. Cléber fez boa defesa.

Aos 14, o meia Guilherme Lazaroni entrou na área e pegou mal na bola, para desespero de Waldison que, sozinho, viu a bola sair pela linha de fundo. Mesmo com os gritos de Vica, os jogadores do Treze não mudavam de compartamento e o time esperava oportunidade de contra-atacar.

Aproveitando uma falha da defesa do Fortaleza, o Treze deu seu primeiro e único chute de perigo aos 32 minutos. O zagueiro Charles errou e Anderson Paim mandou de direita da entrada da área, por cima do travessão. O lance deu fôlego aos visitantes, que passaram a ganhar espaço. Com menos posse de bola que antes, Hélio dos Anjos cobrava mais participação de Guaru na articulação das jogadas.

Nos momentos finais, o Tricolor do Pici ainda ameaçou com Carlinhos e de Esley, mas coube a Negretti a missão de impedir que a bola entrasse. Empatando sem gols, os jogadores do Leão saíram para o intervalo bastante vaiados pelos torcedores.

Assisinho e Waldison decidem

O filme que já não era agradável para o Fortaleza ficou ainda mais nebuloso no início do segundo tempo. As palavras de Vica parecem ter feito mais efeito, e o Treze voltou ditando o ritmo do jogo. Não abriu o placar logo aos quatro com Rodrigo Celeste porque João Carlos brilhou. Túlio Renan e Hudson também chegaram perto, mas a zaga impediu.

Tantas tentativas não poderiam ser em vão. Aos sete, Rodrigo Celeste não perdoou e, apreveitando cruzamento de Negretti, mandou para o fundo das redes. A cobrança vinda das arquibancadas ficava mais forte no PV e só Assisinho fez com que o grito do torcedor do Leão ecoasse aos 14. Em cobrança de falta, o atacante deixou tudo igual. A felicidade durou pouco. O Treze respondeu na mesma moeda e, com Anderson Paim em cobrança de falta, ficou novamente à frente no placar.

Com bastante movimentação para os dois lados, os donos da casa esbarravam na forte marcação do Galo. Jackson Caucaia foi derrubado por Anderson Paim dentro da área e ganhou pênalti. Novamente, a esperança volta para o lado tricolor. Na cobrança, Assisinho acertou primeiro a trave para, só depois, correr e abraçar os companheiros: 2 a 2.

Acreditar parecia mesmo ser o segredo do Fortaleza para chegar à virada no PV. Estreando com a camisa tricolor nesta temporada, Waldison não queria passar em branco. Aos 28, o atacante recebeu lançamento e acreditou. Driblou Cléber e deu um chute aliviado para fazer o terceiro. O Treze lutou até o fim para estragar a festa dos donos da casa. Não conseguiu. No reencontro com a torcida, o Fortaleza respirou aliviado.

Globoesporte/pb